Resistência denuncia 43 assassinatos durante protestos no Irã

Paris, 19 jun (EFE).- O Conselho Nacional da Resistência Iraniana (CNRI) denunciou hoje o assassinato de pelo menos 43 pessoas nas mãos das forças de segurança iranianas durante os protestos após as eleições presidenciais da sexta-feira passada, nas quais foi anunciada a reeleição de Mahmoud Ahmadinejad.

EFE |

"Pelo menos 43 pessoas foram assassinadas por agentes da Guarda Revolucionária, das forças antidistúrbios e de outras forças repressivas nos primeiros cinco dias de levante popular nacional", declarou a Resistência iraniana em comunicado.

Trinta pessoas morreram em Teerã e outras 13 em diferentes cidades do país, das quais "algumas foram baleadas e outras espancadas ou apunhaladas até a morte", disse o CNRI, organização opositora no exílio e radicada em Paris.

O líder do CNRI, Maryam Rajavi, pediu à comunidade internacional que "imponha sanções ao regime" iraniano.

A Resistência convocou uma manifestação em Paris de "solidariedade ao levante no Irã" para o sábado e ressaltou que este é "o momento de a comunidade internacional reconhecer o desejo e a determinação do povo iraniano de derrubar a ditadura religiosa e estabelecer uma democracia em seu lugar". EFE jaf/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG