Resgate de corpos se dificulta no RJ e mortos chegam a 225

Rio de Janeiro, 11 abr (EFE).- Os trabalhos de resgate de corpos soterrados nos morros do Rio de Janeiro que desabaram após as intensas chuvas da última semana está cada vez mais difícil por causa das toneladas de terra que caíram e o número oficial de mortos subiu para 225, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

As autoridades explicaram que hoje de manhã foram resgatados mais dois corpos no Morro do Bumba, em Niterói, onde se teme que possam estar soterradas outras 150 pessoas.

O trabalho das equipes de busca, que resgataram 34 corpos somente nesse morro, fica agora mais complicado porque já foram rastreadas as camadas mais superficiais das barreiras que caíram e agora será necessário chegar a uma profundidade maior, em meio às toneladas de lodo, pedras e lixo que desabaram após as chuvas.

A comunidade que ficava no Morro do Bumba tinha cerca de 50 casas, uma igreja, um parque e vários estabelecimentos comerciais.

Ela tinha sido construída há cerca de 30 anos sobre um antigo depósito de lixo e, por isso, o terreno estava fragilizado e sua capacidade para absorver a água da chuva estava reduzida.

A maior parte dos trabalhos de resgate se concentra desde sexta-feira passada em Niterói, mas continuavam hoje em morros do Rio, São Gonçalo, Petrópolis, Nilópolis, Magé e Paracambi, as cidades mais afetadas pelo temporal que começou na tarde de segunda-feira passada.

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, confirmou que amanhã começará a remoção das centenas de famílias que ainda estão em áreas consideradas "de risco", nas quais se teme que haja novos deslizamentos de terra.

Embora muitas dessas famílias se neguem a abandonar suas casas, as autoridades afirmaram que, se for necessário, serão obrigadas à força, pois existe um "perigo real" de novos desmoronamentos caso volte a chover, tal como os meteorologistas preveem para essa semana.

Segundo os cálculos oficiais, o número de desabrigados em todo o estado do Rio por causa das chuvas chega a cerca de 50 mil, os quais foram hospedados de forma provisória em albergues municipais e ginásios de esporte. EFE ed/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG