Resgate de Betancourt e 14 reféns é o maior golpe sofrido pelas Farc

Bogotá, 2 julho (EFE).- A ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt, três americanos e 11 soldados e policiais foram libertados hoje pelo Exército colombiano, no maior golpe dado às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em seus 44 anos de história.

EFE |

O ministro de Defesa colombiano, Juan Manuel Santos, explicou que o Exército se infiltrou na cúpula das Farc para libertar 15 reféns e fez dois rebeldes crer que cuidavam dos reféns que iam a uma reunião com o chefe máximo da guerrilha, conhecido como "Alfonso Cano".

Além de Betancourt, seqüestrada em 23 de fevereiro de 2002 e que também tem nacionalidade francesa, foram resgatados os prestadores de serviços americanos Thomas Howes, Keith Stansell e Marc Gonsalves, em cativeiro desde 13 de março de 2003.

A seguir, os golpes mais fortes dados nos últimos anos às Farc: - 25 de maio de 2008: A cúpula das Farc confirma em um vídeo entregue ao canal internacional "Telesur" que Pedro Antonio Marín, conhecido como "Manuel Marulanda" ou "Tirofijo", fundador e máximo chefe da guerrilha, morreu em 26 de março de infarto cardíaco. A notícia tinha sido anunciada pelo ministro da Defesa.

- 18 de maio de 2008: "Karina", apelido de Nelly Ávila Moreno, chefe da frente 47 e única mulher na história das Farc com cargo de comandante, se entregou na região de Antioquia a tropas militares e ao Departamento Administrativo de Segurança (DAS).

- 26 de março de 2008: Morre "Tirofijo", de 78 anos e considerado o guerrilheiro "mais velho do mundo", por quem o Governo colombiano oferecia uma recompensa de 5 bilhões de pesos (US$ 2,8 milhões).

- 7 de março de 2008: "Ivan Ríos", apelido de Manuel Jesús Muñoz ou José Juvenal Velandia, membro do comando central das Farc, é assassinado por seu chefe de segurança, Pedro Pablo Montoya Cortés ("Rojas"), que entregou como prova ao Exército a mão direita do rebelde e um computador.

- 1º de março de 2008: Em uma operação militar colombiana contra um acampamento das Farc no Equador morreram o "número dois" da guerrilha, Luis Edgar Devia, conhecido como "Raúl Reyes", e outras 25 pessoas.

- 25 de outubro de 2007: Gustavo Rueda Díaz ("Martín Caballero"), chefe das Farc no litoral Caribe colombiano e que seqüestrou o hoje chanceler e ex-refém, Fernando Araújo, foi morto por militares junto a outros 19 guerrilheiros na zona de Los Montes de María (norte).

Este rebelde foi acusado de organizar um ataque fracassado em 2000 contra o então presidente dos Estados Unidos Bill Clinton.

- 1º de setembro de 2007: O guerrilheiro Tomás Medina Caracas, conhecido como "Negro Acacio", responsável pelo tráfico de drogas dentro das Farc e chefe da frente 16, morreu em um conflito com o Exército na região de Vichada (leste).

- 15 de junho de 2007: Morre em combate Milton Sierra ("Jota Jota"), líder da frente urbana Manuel Cepeda das Farc em Cali e que era acusado de participar da tomada da Assembléia de Valle del Cauca em 11 de abril de 2002, na qual foram seqüestrados 12 deputados regionais, 11 dos quais foram assassinados em 18 de junho de 2007.

- 17 de fevereiro de 2006: Giovanny David Santamaría, conhecido como "Rubén" ou "Popeye", que participou do seqüestro e morte do governador de Antioquia, Juan Guillermo Gaviria, e do ex-ministro da Defesa Gilberto Echeverri, morreu em um confronto com o Exército.

- 15 de dezembro de 2004: É capturado na cidade de Ibagué (sudoeste) Erminso Cabrera Cuevas, conhecido como "Mincho", que atualmente está recluso em uma prisão dos Estados Unidos e enfrenta um processo por narcotráfico.

- 10 de fevereiro de 2004: Nayibe Rojas Valderrama, conhecido como "Sonia" e que militou durante 14 anos nas Farc, é detida. Foi extraditada em 10 de março de 2005 para os EUA, onde cumpre condenação de quase 17 anos prisão por narcotráfico.

- 2 de janeiro de 2004: Ovidio Ricardo Palmeira Pineda ("Simón Trinidad"), membro do secretariado e chefe de finanças das Farc, é capturado em Quito.

"Trinidad", extraditado para os EUA em 31 de dezembro de 2005, foi condenado nesse país em 28 de janeiro de 2007 a 60 anos de prisão por conspirar para o seqüestro dos três americanos libertados hoje. EFE cpy/rb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG