Resfriados e gripes pioram reações ao volante, diz estudo

Resfriados fortes ou gripes podem afetar significativamente a capacidade de reação de motoristas, segundo uma pesquisa realizada para uma companhia de seguros. O estudo comparou em um simulador o desempenho de uma centena de motoristas com condições de saúde diversas como resfriados, estresse e dores de cabeça com outros 50 saudáveis.

BBC Brasil |

Os motoristas com resfriados tiveram um desempenho 11% inferior à média - um desempenho semelhante ao provocado pela ingestão de uma dose dupla de uísque.

Segundo os coordenadores do estudo, encomendado pela seguradora Lloyds, uma piora de 11% no tempo de reação do motorista acrescenta um metro na distância para a freada a uma velocidade de 48 quilômetros por hora - além dos 12 metros em condições normais.

A uma velocidade de 113 quilômetros por hora, seriam acrescidos 2,3 metros à distância normal de frenagem de 96 metros.

Acidente

Um levantamento separado para a companhia de seguros, com 4 mil pessoas, mostrou que 22 delas haviam tido um acidente quando tinham um resfriado forte e cinco durante uma gripe.

Os responsáveis pelo estudo advertem que problemas de saúde, principalmente combinados com medicações, fadiga ou pequenas quantidades de álcool podem ter um impacto significativo na habilidade de dirigir.

"Direção segura exige concentração e boa reação, e ambas são significativamente reduzidas, mesmo por um resfriado leve", diz a médica Dawn Harper, que participou do estudo.

"As pessoas que estão sofrendo dessas condições devem evitar pegar no volante até melhorarem", diz.

    Leia tudo sobre: ciência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG