Republicanos seguem perdendo força nos EUA, afirma pesquisa

Washington, 18 mai (EFE).- O Partido Republicano dos Estados Unidos, que perdeu força nos últimos anos, continua vendo minguar sua influência entre quase todos os grupos demográficos do país e, desde 2001, só mantém um apoio sólido entre os mais conservadores, segundo uma pesquisa divulgada hoje.

EFE |

O relatório, realizado pelo instituto Gallup com base em pesquisas feitas por telefone com 7.139 adultos entre janeiro e abril, informou que 53% dos americanos com mais de 18 anos se identificam com o Partido Democrata, enquanto 39% optam pelo Republicano.

Isso representa uma mudança de peso em relação a 2001, quando o terreno estava mais equilibrado para os partidos.

A análise informa que os novos dados apontam para uma perda de cinco pontos para os republicanos e um ganho de oito pontos para os democratas entre 2001, quando George W. Bush chegou ao poder, e 2009.

Assim como demonstrado em pesquisas anteriores, a tendência do eleitorado de se distanciar dos republicanos é percebida em quase todos os grupos demográficos analisados, embora a mudança tenha sido substancial entre os universitários, com uma perda de dez pontos.

No grupo dos jovens entre 18 e 29 anos, a perda foi de nove pontos.

Esta mudança "poderia refletir, em parte, a atração gerada por Barack Obama entre os eleitores com (alto nível de) educação, que foram um componente chave" das coalizões que o apoiaram nas primárias e nas eleições gerais de novembro de 2008, afirma o Gallup.

A perda de apoio dos republicanos foi maior entre os grupos que, para começar, não apoiavam o partido firmemente. Nesse segmento se incluem, por exemplo, eleitores que se identificam como "liberais" e "moderados", os de baixa renda e os jovens.

A boa notícia para o Partido Republicano é que, segundo o Gallup, a legenda "perdas significativas" entre os partidários "mais leais", entre estes "os que vão à igreja com frequência" e os eleitores que se autodescrevem como "conservadores".

Nos últimos oito anos, os republicanos também não perderam terreno entre os grupos étnicos que, por si só, não os apoiavam significativamente, como negros e hispânicos. EFE mp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG