Republicanos planejam dar as costas à posse de Obama

Washington, 3 jan (EFE).- Alguns republicanos, muitos dos quais ocuparam cargos oficiais durante os últimos oito anos, planejam abandonar Washington nos próximos dias, enquanto milhões de pessoas chegam para assistir à posse presidencial do democrata Barack Obama, em 20 de janeiro.

EFE |

Segundo o site "Politico.com", esses republicanos ocuparam algum cargo na Casa Branca ou no Congresso e decidiram sair de férias durante a ocasião, histórica para os Estados Unidos.

"Não há melhor forma de comemorar a posse de Obama que sair da cidade e ir à fabulosa Las Vegas", disse Charlie Spies, advogado republicano e ex-assessor da campanha presidencial de Mitt Romney, em mensagem de e-mail dirigida a seus amigos, diz o portal.

O site diz ainda que Spies e sua mulher já conseguiram apoio de pelo menos 15 pessoas para deixar Washington. Todos participarão de um jantar em Las Vegas, um evento batizado por eles de "Posse no Exílio".

Os republicanos não só enfrentam a certeza de serem desalojados da Casa Branca em 20 de janeiro, mas também sua minoria no Congresso ficou ainda mais enfraquecida após as eleições de 4 de novembro.

Porém, não é só a cidade dos jogos de azar que atrai os republicanos que não querem estar em Washington em 20 de janeiro e que consideram a vitória eleitoral de Obama uma "pílula difícil de engolir", segundo o "político.com".

Há alguns que vão esquiar, outros aproveitar o sol do Caribe e os que usaram como desculpa principal a necessidade de assistir partidas da liga profissional de futebol americano, que está na fase decisiva.

Segundo o portal, a situação foi explicada por um alto funcionário do Governo do presidente George W. Bush através de um e-mail.

"Fico sem trabalho em 20 de janeiro ao meio-dia. Não há melhor momento para tirar férias. Gosto de esquiar e não vejo toda minha família há quase um ano. É o melhor momento para ir esquiar por uma semana", diz a mensagem do funcionário.

"Por que vamos ficar nessa semana se sabemos que as multidões serão piores que durante os dias em que florescem as cerejeiras ou durante" feriados?, questionou o assessor.

Greg Crist, um assessor de alguns republicanos, aceitou que fosse divulgado seu nome quando o "político.com" o consultou sobre seus planos para o dia da posse.

"Estarei pensando, em algum lugar remoto, que futuro está reservado para os republicanos", assinalou.

Kevin Sheridan, porta-voz do presidente Bush durante sua segunda posse em 2005, disse que estará tomando sol em alguma praia do Caribe durante a semana de 20 de janeiro, quando as temperaturas em Washington estão baixíssimas.

"A posse de Barack Obama será um grande momento para nosso país e os organizadores têm que realizar uma grande festa. Acho que deixo um espaço para que meus amigos democratas desfrutem mais de perto do momento", manifestou.

Ryan Patmintra, secretário de imprensa do senador republicano Jon Kyl, tem a melhor desculpa de todas.

"Não só me caso em Tampa uma semana antes da posse, mas estarei do outro lado do mundo quando nosso presidente jurar o cargo.

Espero, nesse momento, estar bebendo água de coco em uma das praias da Tailândia", comentou.

Mas também há outros que decidiram ficar em Washington, apesar dos anúncios de que a cidade será invadida por milhões de democratas e que os problemas de trânsito podem ser caóticos.

"Ficarei aqui. Irei aos atos e me preocuparei com nossos clientes", disse a agente lobista Juleanna Glover, que também organiza uma festa para republicanos e democratas em 20 de janeiro.

"Não tem nenhum sentido deixar a cidade", afirmou. EFE ojl/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG