Os republicanos bloquearam hoje no Congreso americano uma lei que pretendia reverter uma sentença da Corte Suprema que restringe às mulheres a possibilidade de entrar com ações contra seus empregadores por salários desiguais.

A legislação tomou como base o caso de Lilly Ledbetter, uma mulher que descobriu, depois de trabalhar por quase duas décadas como capataz numa fábrica de pneus da Goodyear em Alabama (sul), que percibia salário 40% menor que o de seus colegas homens.

Sua demanda contra a empresa chegou à Corte Suprema mas foi rejeitada em maio de 2007.

A lei diz que os empregados devem entrar com as demandas por discriminação num período de seis meses, e a corte estimou que este prazo começa a correr desde que o empregador fixa o salário.

Legisladores democratas tentaram modificar a lei e em julho passado a Câmara de Representantes aprovou a denominada Lei do salário justo Lilly Ledbetter.

No entanto, numa votação hoje no Senado, não foram alcançados os 60 votos necessários para fazer aprovar a lei: foram apenas 56 a favor.

O candidato presidencial republicano John McCain se absteve de votar, mas os dois aspirantes à indicação democrata, Hillary Clinton e Barack Obama, apoiaram a lei.

fc/ar/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.