Republicano vira-casaca fortalece Obama no Senado

A maioria democrata no Senado americano se aproxima do número mágico de 60 assentos, graças à infidelidade partidária de um político republicano, o que poderá permitir que o presidente Barack Obama adote mais facilmente seu programa de reformas.

AFP |

Reuters

Senador Specter caminha ao lado de sua esposa após o anúncio

O senador da Pensilvânia, Arlen Specter, anunciou nesta terça-feira sua mudança para o campo democrata, fazendo com que o partido do presidente se aproximasse do número de 60 cadeiras de 100, que, no Senado dos Estados Unidos, permite evitar o bloqueio da oposição.

"Decidi me candidatar para as eleições de 2010 nas primárias do Partido Democrata", anunciou o senador em seu site de campanha.

"Desde a minha eleição, em 1980 (...) o Partido Republicano virou largamente para a direita. No ano passado, mais de 200 mil republicanos na Pensilvânia mudaram sua filiação para se tornarem democratas. Vejo que minha filiosofia política tem mais afinidade com os democratas do que com os republicanos", acrescentou.

O Partido Democrata, que reforçou a sua maioria nas eleições de 4 de novembro, contava até agora com 58 senadores, sendo dois independentes que votam, geralmente, com os democratas.

Mas os democratas controlam 59 assentos de um total de 100, porque uma das duas cadeiras de senador por Minnesota está desocupada desde as eleições de novembro.

O senador republicano Norm Coleman e o democrata Al Franken disputam o posto desde as eleições. Os juízes decidiram recentemente em favor do democrata, mas o republicano apelou da decisão, adiando a atribuição da vaga.

No entanto, o senador Specter, considerado um moderado, não esperou passar para o lado democrata para votar com eles.

Em fevereiro, ele já havia sido um dos três senadores republicanos a votar em favor do plano de relançamento da economia de US$ 787 bilhões, permitindo a sua adoção, enquanto que seus colegas denunciavam as despesas recordes assumidas pelo campo democrata.

"Dou as boas-vindas ao senador Specter e a sua voz moderada", indicou nesta terça-feira em um comunicado o líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, que classificou o novo democrata como um "excelente servidor dos cidadãos".

Já o líder do Partido Republicano, Michael Steele, denunciou a decisão de Specter, acrescentando que os republicanos farão o possível para combatê-lo, caso obtenha a candidatura democrata em 2010.

Specter "não deixou o Partido Republicano por questões de princípio. Ele deixou o partido por seu próprio interesse político porque sabia que iria perder uma primária republicana", disse.

O presidente Obama precisará de todo o apoio do Congresso para fazer com que seja adotado seu enorme programa de reformas que vai da saúde à educação, passando pelas despesas militares. Um grande encontro parlamentar o aguarda para a discussão do orçamento de 2010, que prevê despesas de US$ 3,6 trilhões.


Leia mais sobre Obama

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG