A petrolífera espanhola Repsol-YPF anunciou ter encontrado no golfo da Venezuela a maior jazida de gás natural da história da empresa. O poço Perla I, de exploração conjunta com o consórcio italiano Eni, pode conter entre 7 trilhões e 8 trilhões de pés cúbicos, o equivalente a mais de cinco anos de consumo de gás da Espanha, de acordo com a Repsol.

A descoberta foi anunciada nesta sexta-feira e confirmada pelo presidente venezuelano Hugo Chávez, em visita à Espanha.

Depois de reunir-se com o rei da Espanha, Juan Carlos, e com o primeiro-ministro José Luis Rodríguez Zapatero, Chávez teve um breve encontro com o presidente da Repsol-YPF, Antonio Brufau, com quem conversou sobre a descoberta da jazida.

Chávez disse que a descoberta era "muito positiva" para Venezuela e Espanha e que o volume de gás encontrado era "muito grande".

"As reservas de gás da Venezuela, ao ritmo que levam as descobertas científicas certificadas, nos colocarão entre os cinco grandes gigantes do mundo em gás", disse Chávez ao diário espanhol El País.

Tamanho

Um porta-voz da Repsol-YPF disse que a empresa realizará provas nas próximas semanas para determinar o tamanho exato da jazida.

Localizada no norte da Venezuela, perto da fronteira com a Colômbia, a jazida possui 33 quilômetros de extensão e pode ser a maior já descoberta na Venezuela.

A Repsol opera no bloco denominado Cardon IV desde 2006. Se a descoberta for confirmada, de acordo com a legislação da Venezuela, deverá ser criada uma empresa mista na qual a estatal venezuelana PDVSA deve ficar 35% da participação nos lucros da exploração e a Repsol-YPF e a Eni con 32,5% cada uma.

"Está na lei do gás. Nós estamos muito confortáveis e sempre com uma boa relação com o governo, com a própria PDVSA e com o ministro (de energia, Rafael Ramírez)", disse o presidente da Repsol-YPF em uma conversa com Chávez que foi publicada pelo El País.

A Venezuela possui 30% das reservas de gás latinoamericanas, com 180 bilhões de pés cúbicos (bpc), superando a Bolívia, que detem 27 bilhões (bpc).

Apesar disso, a produção venezuelana de gás não é tão revelante como a petrolífera. No ano passado, foram extraídos 6,9 milhões de pés cúbicos diários, dos quais 3 milhões foram utilizados nas operações de produção petrolífera. A Bolívia, por sua vez, produziu no ano passado 42 milhões de pés cúbicos.

A Venezuela é o quinto maior exportador mundial de petróleo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.