Repressão a protesto na Guiné deixa 87 mortos

Ao menos 87 pessoas morreram nesta segunda-feira em Conacri, capital da Guiné, quando as forças de segurança reprimiram violentamente um protesto da oposição, revelou uma fonte policial à AFP.

AFP |

"Há 87 corpos que foram retirados de dentro e das imediações do estádio (em Conacri) após a passagem dos militares", indicou uma autoridade da Polícia que pediu para não ser identificada.

O registro anterior indicava 58 mortos.

"Neste momento, há 47 corpos no campo (militar) Samory Touré (em Conacri), dentre eles os de quatro mulheres, que serão enterrados nesta noite (segunda-feira para terça-feira)", indicou esta fonte.

As residências de dois líderes da oposição, Cellou Diallo e Dallein Sydia Toure, feridos durante a repressão do protesto, foram saqueadas por militares, indicaram testemunhas à AFP.

"Os militares chegaram às 21h00 (18h00 de Brasília) e estão saqueando a casa de Sydia Touré", disse um dos seguranças da residência, pouco depois das 22h00. Os jornalistas locais confirmaram a informação.

A esposa e os filhos do líder da União das Forças Republicanas (UFR, oposição) e o ex-primeiro-ministro estavam ausentes.

Algumas horas antes, a casa de Diallo, outro ex-primeiro-ministro, também foi saqueada pelos militares, disseram testemunhas.

Em ambos os casos, os militares "levaram tudo", segundo as testemunhas.

bm/LR/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG