Representantes de Moqtada al-Sadr visitam Síria e criticam pacto de segurança

Damasco, 5 nov (EFE).- O presidente sírio, Bashar al-Assad, recebeu hoje uma delegação de membros do grupo iraquiano Bloco Sadr, leal ao clérigo xiita Moqtada al-Sadr, que rejeitou o pacto de segurança negociado entre os Estados Unidos e o Governo do Iraque.

EFE |

Segundo um comunicado da Presidência síria, os seguidores de Sadr, em visita a Damasco, consideram esse acordo "uma tentativa de transformar o Iraque em uma base contra seus irmãos".

A delegação é liderada pelo xeque Muhanad al-Ghrawi, que conversou com Assad sobre os últimos eventos em seu país. Ele afirmou que o acordo de segurança "tornará o Iraque refém dos americanos".

Bagdá e Washington negociam há meses o pacto, que regula a presença de tropas estrangeiras no país árabe depois do fim do mandato concedido pelo Conselho de Segurança da ONU, no final do ano.

Um dos grupos iraquianos mais ativos contrários ao acordo de segurança, o Bloco Sadr já organizou diversas manifestações contra o pacto, pois considera que prolongará a ocupação militar americana e tirará a soberania ao Iraque.

O influente clérigo Moqtada al-Sadr, líder do grupo, é o dirigente de uma das principais milícias iraquianas, o Exército Mehdi, e um dos maiores detratores da presença dos EUA no Iraque.

Por outro lado, Al-Ghrawi entregou a Assad uma carta de parte de Al-Sadr, em que o clérigo "condena a flagrante agressão dos EUA em território sírio e expressa o apoio do povo iraquiano à Síria".

A carta mencionava o ataque de 26 de outubro, cometido por helicópteros americanos, contra a localidade síria de Abu Kamal, próxima à fronteira com o Iraque. Oito pessoas teriam morrido, segundo a versão do regime de Damasco.

As autoridades dos EUA ainda não confirmaram o ataque. EFE gb/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG