Representante do dalai lama nega vínculos entre Al Qaeda e juventude tibetana

Nova Délhi, 6 mai (EFE).- O representante do dalai lama em Nova Délhi, Tempa Tsering, qualificou hoje as acusações das autoridades chinesas que vinculam o Congresso da Juventude Tibetana à Al Qaeda de absolutamente infundadas e sem provas.

EFE |

"É uma acusação que não tem credibilidade. É muito infeliz que uma grande potência como a China esteja fazendo uma acusação desse tipo sem provas. O mundo não levará essas acusações a sério", disse Tsering, citado pela agência indiana "Ians".

O enviado do líder espiritual tibetano disse que os tibetanos são "pacíficos e não violentos por natureza, e não têm nada a ver com o terrorismo", acrescentando que se trata de "propaganda escandalosa".

Além disso, destacou que a luta dos tibetanos pela independência é uma das "poucas" que não se baseia em atos violentos.

Não é a primeira vez que as autoridades de Pequim lançam acusações contra as organizações tibetanas no exílio.

O Executivo chinês já tinha afirmado antes que o presidente do Congresso da Juventude Tibetana, Tsewang Rinzin, foi responsável por buscar financiamento para as revoltas de março, em Lhasa, capital do Tibete. EFE mb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG