Representante da UE apóia diálogo do Paquistão com rebeldes

Islamabad, 22 abr (EFE).- O representante da União Européia (EU) para Política Externa e Segurança Comum, Javier Solana, declarou hoje apoiar o Governo do Paquistão em sua nova política de diálogo com os insurgentes que deixarem as armas.

EFE |

Solana, que chegou ontem à noite a Islamabad após visitar o Afeganistão, destacou em entrevista coletiva junto ao ministro de Assuntos Exteriores paquistanês, Makhdoom Shah Mahmood Qureshi, que apoiará a medida sempre que ela for feita "dentro das margens da Constituição".

Segundo ele, "a UE e o Paquistão compartilham muitos interesses comuns" e que "é objetivo de ambos os países avançar nas relações".

Qureshi destacou o papel da missão de observadores da UE nas eleições de 18 de fevereiro e elogiou o relatório final, que o chefe do grupo, Michael Gahler, apresentou na última semana.

Neste documento, a UE pedia às instituições políticas do Paquistão que empreendessem uma profunda reforma eleitoral e garantissem a independência da Justiça e da Comissão Eleitoral.

O ministro de Exteriores disse que "o Governo quer pôr em prática estas recomendações" e que, por este motivo, "o relatório dos observadores será debatido em breve no Parlamento".

Além disso, Qureshi destacou a importância de ter a UE como parceira comercial, o "mais importante em volume de troca". Segundo ele, o bloco "ajudou muito o desenvolvimento econômico do Paquistão".

Os dois dirigentes se referiram também em várias ocasiões à posição do Afeganistão na região e colocaram ênfase especial no problema das drogas, que, segundo Solana, "conduz a conseqüências muito negativas" que afetam os dois países.

Qureshi explicou que propôs ao chefe da diplomacia européia "avançar no diálogo intercultural" para combater "a crescente islamofobia" e conseguir "o entendimento mútuo".

O ministro paquistanês ainda negou que a libertação ontem do líder talibã Sufi Muhammad tenha acontecido "em função" do grupo de rebeldes que seqüestraram, há mais de dois meses, o embaixador do Paquistão no Afeganistão, Tariq Azizuddin.

Segundo o ministro, a libertação de Muhammad "faz parte do processo de reconciliação" em andamento para combater o extremismo no Paquistão que inclui o início de conversas com líderes talibãs de áreas tribais.

Solana se reuniu na manhã de hoje com o presidente paquistanês, Pervez Musharraf, e com o primeiro-ministro eleito, Yousaf Raza Gillani, antes de seu encontro com Qureshi.

Trata-se do segundo encontro de um representante europeu com o novo Governo do Paquistão. O primeiro aconteceu há dois dias, quando o chefe da diplomacia britânica, David Miliband, visitou o país.

Antes de deixar ainda hoje o Paquistão, o representante da UE se reunirá com os líderes dos principais partidos políticos que integram a coalizão de Governo. EFE igb/rr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG