NYT investigado por plágio pede demissão, diz WSJ - Mundo - iG" /

Repórter do NYT investigado por plágio pede demissão, diz WSJ

Zachery Kouwe, o repórter do The New York Times investigado por possível plágio de vários artigos do jornal The Wall Street Journal, apresentou seu pedido de demissão na terça-feira, informou nesta quarta-feira essa publicação.

EFE |

O jornal econômico informou que, segundo "uma pessoa familiar com o assunto", Kouwe apresentou sua demissão ao "Times", que tinha aberto uma investigação sobre o assunto após receber uma carta do "WSJ" que apontava semelhanças entre alguns artigos publicados nos dois jornais e assinados pelo jornalista no "NYT".

"Em vários artigos econômicos do 'Times' durante o ano passado e em postagens do blog DealBook do 'NYTimes.com', um redator do 'Times' parece ter-se apropriado indevidamente de expressões e passagens publicados por outros veículos de comunicação", admitiu na terça-feira o jornal nova-iorquino em sua seção de correções.

Kouwe, que começou a trabalhar para o 'Times' em 2008, utilizou frases do "The Wall Street Journal", da agência de notícias "Reuters" e de outras fontes "sem atribuição ou reconhecimento".

Segundo a edição desta quarta-feira do "The Wall Street Journal", o jornalista do 'Times' trabalhou durante três anos na seção de fusões e aquisições das páginas econômicas do "New York Post". Antes disso, foi repórter para as newsletters do "Dow Jones Newswires".

O "WSJ" lembra que o "Post" e o "Dow Jones Newswires" pertencem à empresa de comunicação News Corp, proprietária também do diário financeiro.

Foi o "The Wall Street Journal" que alertou o "Times" sobre as similaridades entre um artigo do site do jornal econômico e uma postagem do blog financeiro do "NYT" (que no dia seguinte foi publicada na versão impressa), ambas postadas em 5 de fevereiro com apenas duas horas de diferença.

A partir de então, o "The New York Times" abriu uma investigação interna e detectou outros casos de plágios de "passagens de artigos de Kouwe e de outros veículos de imprensa".

"Copiar diretamente de outros veículos sem atribuir a fonte - inclusive se os fatos são verificados de maneira independente - é uma séria violação da política do 'Times' e das normas básicas do jornalismo. Não deveria ter acontecido", disse o jornal.

Após descobrir a situação, o 'Times' ressaltou que "tomará as medidas apropriadas de acordo com nossas normas para proteger a integridade de nosso jornalismo".

Em 2003, o "NYT" teve de enfrentar um escândalo similar quando Jayson Blair, um de seus jornalistas, admitiu que plagiou e inventou notícias.

    Leia tudo sobre: jornalistasnew york times

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG