HARARE, Zimbábue (Reuters) - Um repórter do jornal The New York Times feriu-se no período em que esteve preso no Zimbábue e agora precisa de cuidados médicos, afirmou o advogado dele na segunda-feira. O correspondente Barry Bearak e um repórter britânico conseguiram sair sob fiança, na segunda-feira, após terem sido acusados de cobrir as eleições no país africano sem as devidas credenciais.

'Os dois foram libertados após pagar uma fiança de 300 milhões de dólares zimbabuanos (7,50 dólares). O britânico recebeu ordens de ficar morando na Embaixada da Grã-Bretanha. E o norte-americano recebeu ordens de permanecer na Clínica Dandaro porque caiu em sua cela e ficou gravemente ferido, de forma que precisa de cuidados médicos', afirmou o advogado Harrison Nkomo.

A policia prendeu os jornalistas no hotel deles, na quinta-feira à noite. Representantes das forças de segurança do Zimbábue não puderam ser encontrados para se manifestarem a respeito do assunto.

(Reportagem de MacDonald Dzirutwe)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.