Reportagem sobre milícias do RJ ganha Prêmio de Jornalismo Rei da Espanha

Redação Central, 26 mar (EFE).- A reportagem Política do Terror, sobre as milícias que controlam as favelas do Rio de Janeiro, valeu o Prêmio de Jornalismo Rei da Espanha na categoria de Imprensa para a autora do trabalho e seus colaboradores do jornal O Dia, que foram sequestrados e torturados durante a elaboração do mesmo.

EFE |

Os reis da Espanha presidem hoje a entrega dos Prêmios de Jornalismo Rei da Espanha, que em sua 26ª edição também premiaram trabalhos realizados por jornalistas do Chile, Espanha, Colômbia e México.

Convocados anualmente pela Agência Efe e pela Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid), os prêmios serão entregues em um ato na realizada na Casa da América de Madri.

Também haverá a entrega do Prêmio Don Quixote de Jornalismo, em sua 5ª edição, patrocinada pela Junta de Castela-La Mancha.

A secretária de Estado espanhola de Cooperação Internacional, Soraya Rodríguez, o presidente da Comunidade Autônoma de Castela-La Mancha, José María Barreda, e o presidente da Agência Efe, Álex Grijelmo, participarão da cerimônia, com a presença de personalidades do mundo da cultura, a política, os negócios e representantes do corpo diplomático.

Os espanhóis Gervasio Sánchez e Mikel Urretavizcaya foram agraciados nas categorias de Fotografia e Ibero-americano, respectivamente.

O Prêmio Don Quixote foi para o colombiano Julián Orlando Isaza Niño pelo trabalho "Atlas é chocoano", que retrata o ofício de carregadores que transportam nos ombros objetos e pessoas através da selva colombiana.

O chileno Amaro Gómez-Pablos B. obteve o prêmio na categoria de Televisão por "Guantánamo, acesso exclusivo à prisão mais controvertida", emitido na "Televisão Nacional do Chile".

As mexicanas Jade Ramírez Cuevas Villanueva e Priscila Hernández Flores foram premiadas na categoria de Rádio por "A discriminação viaja por Avianca", que narra a situação que vivida em 2007 por uma cega mexicana na mencionada companhia aérea.

Paola Andrea Villamarín e sua equipe foram agraciadas com o prêmio na categoria de Jornalismo Digital por "Dez histórias inéditas na cultura colombiana".

O Prêmio Ibero-americano e o Dom Quixote oferecem com 9 mil euros (US$ 12 mil), enquanto os correspondentes às categorias de Imprensa, Rádio, Televisão, Fotografia e Jornalismo Digital recebem 6 mil euros (US$ 8 mil) cada, além de uma escultura em bronze do artista Joaquín Vaqueiros Turcios. EFE mlg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG