Réplica de 6,1 graus sacode capital da província de Sichuan

Pequim - Uma forte réplica de 6,1 graus na escala de Ritcher sacudiu nesta terça-feira Chengdu, a capital da província de Sichuan, onde, na remota localidade Wenchuan, foi registrado o epicentro do terremoto de segunda-feira, informou hoje a agência Xinhua.

EFE |

Está previsto que na meia-noite (hora local) cheguem a Wenchuan as equipes de resgate, segundo o prazo dado pelo primeiro-ministro, Wen Jiabao.

As difíceis condições meteorológicas, com chuvas que devem durar vários dias, complicam os trabalhos de resgate de milhares de desabrigados pelo terremoto registrado na segunda-feira na zona montanhosa da província sudoeste chinesa de Sichuan.

Quatro helicópteros militares que tentaram na madrugada passada aterrissar em Wenchuan se viram obrigados a retornar a Chengdu, capital da província.

Em estado de choque e muito nervosas pelo maior terremoto das últimas três décadas na China, famílias inteiras passaram a noite ao ar livre, apesar da chuva e do frio.

O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, que é geólogo, pediu calma à população enquanto se dirigia hoje a Wenchuan em um avião, já que as estradas estão bloqueadas por causa do deslizamento de rochas e de terras.

"Compatriotas chineses, perante este desastre tão severo, necessitamos calma, confiança, coragem e organização", afirmou.

Wen Jiabao viajou à região para assumir os trabalhos de resgate dos atingidos pelo terremoto.

"Superaremos o desastre se a população e as forças armadas trabalharem juntas sob a liderança do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCCh) e do Governo", manifestou.

    Leia tudo sobre: chinaterremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG