Renault diz que Flavio Briatore deixou a escuderia

A montadora francesa Renault anunciou nesta quarta-feira que o diretor de sua escuderia de Fórmula-1, Flavio Briatore, e o engenheiro chefe Pat Symonds, deixaram seus cargos. A Renault disse ainda que não vai contestar alegações de irregularidades no Grande Prêmio de Cingapura, em 28 de setembro do ano passado, feitas pelo piloto brasileiro Nelsinho Piquet, que corria pela escuderia.

BBC Brasil |

A equipe foi chamada para dar explicações em uma reunião do Conselho Mundial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), na próxima segunda-feira, em Paris. Um comunicado da escuderia disse que até a reunião não fará mais comentários sobre o assunto.

Caso seja considerada culpada, a escuderia pode sofrer sanções severas, inclusive a expulsão do campeonato de 2010.

O brasileiro, que corria pela Renault, disse em depoimento à FIA sobre o caso que seguiu ordens da equipe para bater o carro contra uma parede durante a prova, como parte de uma estratégia para favorecer o principal piloto da escuderia, o espanhol Fernando Alonso, que acabou vencendo a corrida.

Briatore negou todas as acusações contra ele.

Processo
A Renault chegou a anunciar em meados deste mês que tinha dado entrada em um processo judicial contra Nelsinho e seu pai, o tricampeão mundial Nelson Piquet.

Em um comunicado, a escuderia francesa disse que os dois fizeram "comentários falsos e tentaram chantagear a equipe para permitir que Piquet Jr. continuasse como piloto pelo resto da temporada de 2009".

Nelsinho Piquet foi demitido depois do GP da Hungria, em julho, por não ter marcado pontos para a Renault neste ano, e logo depois começou a fazer críticas públicas à equipe a Briatore.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG