Religioso marroquino autoriza masturbação de mulheres solteiras

Teólogo polêmico autorizou uso de 'cenouras ou garrafas' para evitar tentação de relações sexuais fora do casamento

AFP |

Um célebre teólogo islamita marroquino autorizou as mulheres solteiras que se masturbem usando "cenouras ou garrafas" para evitar que mantenham relações sexuais proibidas fora do casamento.

Desespero: Suicídio de marroquina forçada a casar com seu estuprador causa protestos

"O uso de uma cenoura ou uma garrafa está autorizada pelos ulemás (teólogos) e a sharia (lei muçulmana)", confirmou à AFP Abdelbari Zemzemi, um teólogo cujas fatwas (opinião jurídica de um teólogo) geralmente provocam polêmica na imprensa.

No entanto, essa autorização "diz respeito a casos excepcionais: mulheres solteiras que não querem manter relações sexuais sem se casar e têm dificuldade de controlar sua libido", declarou Zemzemi, ex-deputado e presidente de uma associação religiosa de Casablanca.

Zemzemi considera normal que suas declarações possam causar polêmica "porque a sexualidade é um tema tabu no Marrocos". No entanto, a "sharia evoca esses temas íntimos com muita liberdade, e o objetivo é evitar as relações sexuais fora do matrimônio".

Infográfico: Saiba mais sobre a vidas das mulheres no mundo árabe e muçulmano

Progresso limitado: Apesar de papel em levantes, mulheres árabes ainda lutam por direitos

A masturbação é proibida pelo Islã, mas tolerada por algumas das escolas. Elas preveem que, se uma pessoa está dominada pelo desejo, não consegue controlar seus instintos e tem de cair em Zina (pecado), pode recorrer à masturbação para acalmar-se, seguindo o princípio de que "entre dois males, é melhor escolher o menor".

    Leia tudo sobre: marrocosmasturbaçãoislãshariafatwa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG