Bruxelas, 14 mai (EFE).- O homossexualismo é ilegal em 80 países e punido com a pena de morte em outros cinco, segundo relatório divulgado hoje pela Associação Internacional de Gays e Lésbicas (ILGA, em inglês).

Este foi o terceiro estudo sobre a homofobia no mundo elaborado pela entidade.

A psicóloga mexicana Gloria Careaga, secretária-geral da ILGA, disse que uma legislação que promove a homofobia deixa os homossexuais "sem nenhuma possibilidade de pedir ajuda".

A ILGA afirmou que o homossexualismo é considerado legal em 115 países. Locais como a República Turca do Norte do Chipre (RTNC), reconhecida só pela Turquia, continuam considerando esta prática ilegal.

Já o casamento entre pessoas do mesmo sexo é permitido em sete países: África do Sul, Bélgica, Holanda, Noruega, Espanha, Suécia e Canadá, assim como os estados americanos de Connecticut, Iowa, Maine, Massachusetts e Vermont.

A cidade de São Paulo, alguns locais de Estados Unidos e Austrália, e outros dez países permitem a adoção conjunta de crianças por casais do mesmo sexo.

O Brasil também aparece no estudo como um dos lugares onde se proíbe a discriminação no trabalho baseada na orientação sexual.

O estudo elaborado pela Escola Universitária de Sodertorn, da Suécia, também publicou que as relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo nunca foi qualificada como delito em 12 países africanos.

O status legal do homossexualismo, no entanto, ainda não é claro em Djibuti e Iraque, enquanto Lesoto, Suazilândia, Belize e Trinidad e Tobago proíbem a entrada de pessoas com esta orientação sexual.

Além disso, o homossexualismo é punido com pena de morte no Irã, Mauritânia, Arábia Saudita, Sudão, Iêmen e em algumas regiões de Nigéria e Somália. EFE mrn/plc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.