Relatório detalha abusos infantis em fazenda de seita do Texas

SAN ANTONIO - Negligência e abuso contra crianças eram disseminados na fazenda do Texas onde pelo menos 12 meninas foram forçadas a se casar, segundo um relatório divulgado na noite de segunda-feira pelo Departamento de Família e Serviços de Proteção do Texas.

Reuters |

O relatório diz que a maioria dos processos foi arquivada por causa de medidas subsequentes tomadas pelos pais depois das ações policiais na propriedade rural do extremo oeste do Texas, onde havia famílias polígamas.

Mais de 400 menores foram retirados da fazenda Yearning For Zion (Ansiando por Sião), nos arredores de Eldorado, por causa de denúncias contra as práticas religiosas ali realizadas por uma facção renegada mórmon, chamada Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Essa seita adota um estilo de vida austero, e as mulheres usam trajes conservadores, como das pioneiras colonizadoras dos EUA. A poligamia, abandonada há mais de um século pela original Igreja de Jesus Cristo dos Santos Últimos Dias, ainda é praticada por esse grupo.

"Doze meninas foram vítimas confirmadas de abuso sexual e negligência, porque se casaram com idades de 12 a 15 anos", disse o relatório, acrescentando que outros 262 menores "foram submetidos a negligência porque seus pais deixaram de remover a criança de uma situação em que a criança estaria exposta a abusos sexuais cometidos contra outra criança".

As autoridades do Texas foram criticadas pelo uso excessivo da força no episódio. Em maio, um tribunal considerou que o Estado extrapolou suas atribuições ao retirar os menores da fazenda, decisão que foi confirmada pela Suprema Corte do Estado. Isso levou à devolução dos menores aos seus pais, mas as investigações puderam prosseguir.

O Departamento da Família e dos Serviços de Proteção disse que, das 439 crianças envolvidas, o Estado havia suspendido os processos relativos a 424, cuja família "tomou medidas adequadas para protegê-las de abusos sexuais, ou porque não houve abuso ou negligência na família".

"Há processos judiciais pendentes nos casos de cinco mães e seus 15 filhos", acrescentou o relatório.

A Secretaria de Justiça do Texas abriu processos por crimes como bigamia e atentado violento ao pudor contra 12 homens, inclusive o líder espiritual do grupo, Warren Jeffs, que já havia sido condenado em 2007 em Utah por forçar uma menina de 14 anos a se casar com um primo dela.

(Reportagem adicional e texto de Ed Stoddard em Dallas)

Leia mais sobre: abusos no Texas

    Leia tudo sobre: texas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG