Washington, 25 jul (EFE).- O Departamento de Estado americano precisa de uma estratégia integral e de longo prazo para fazer frente à crescente solicitação de passaportes, apesar dos esforços realizados em 2007, assegurou hoje um relatório governamental.

O Escritório de Supervisão do Governo (GAO, na sigla em inglês) divulgou hoje um relatório com os resultados de uma investigação solicitada pelo Congresso, que indica que o Departamento de Estado ainda não elaborou "uma estratégia integral de longo prazo" para modernizar os trâmites de passaportes.

A análise pôs como exemplo a enorme demanda de passaportes em 2007, que evidenciou "graves deficiências no processo de emissão" desses documentos por parte Departamento de Estado.

Devido a essas deficiências, "as demoras alcançaram números recorde, causando frustração e inconveniência para milhares de americanos", indicou o relatório de GAO, entidade que realiza investigações a pedido de membros do Congresso.

O tempo de espera, que costuma ser de apenas quatro semanas, se tornou uma demora de pelo menos 12 semanas, e em muitas ocasiões as autoridades extraviavam ou não podiam encontrar com facilidade as solicitações de passaportes.

O porta-voz do Departamento de Estado Gonzalo Gallegos disse que não pode comentar sobre o relatório sem lê-lo antes, mas que, em geral, a agência federal tomou medidas para agilizar a emissão dos passaportes.

Com relação ao problema das solicitações em 2007, "trabalhamos com muita diligência para desenvolver um sistema mais eficaz para o processamento de passaportes" e fazer frente à crescente demanda, ressaltou o porta-voz. EFE mp/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.