Relatório alerta para o consumo preocupante de heroína na UE

A evolução do consumo de heroína na Europa, responsável pela maioria das mortes por drogas, é preocupante e exige uma vigilância maior, advertiu nesta quinta-feira o Observatório Europeu de Drogas e Toxicomanias (OEDT) em seu relatório anual apresentado em Bruxelas.

AFP |

Ao estimar que os derivados do ópio "continuam no coraçao do fenômeno da droga na Europa", o OEDT enfatizou que os "sinais preocupantes na evolução da problemática da heroína implicam que os países europeus devem ser vigilantes e estar prontos para atuar".

Segundo o observatório, a União Européia (UE) e a Noruega contam com entre 1,3 e 1,7 milhão de "usuários problemáticos de derivados do ópio" e a heroína "é responsável pela maior parte dos custos sanitários e sociais vinculados com a droga na Europa".

O informe indica, além disso, que as apreensões de heroína aumentaram em 10% durante o período 2003-2006, alcançando um total de 19,4 toneladas na Europa em 2006.

Em 2007, a produção mundial de ópio aumentou 34%, para alcançar um volume de 8.870 toneladas, assinalou o relatório, enfatizando que esta evolução provém essencialmente de um crescimento do cultivo de papoulas no Afeganistão.

Segundo o documento, 80% das overdoses mortais (num total de entre 7.000 e 8.000 mortes anuais) na Europa está vinculado com o consumo de heroína.

il/mar/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG