Relator da ONU quer processar Bush e Rumsfeld por torturas em Guantánamo

O relator especial das Nações Unidas para a tortura pediu nesta terça-feira que o ex-presidente George W. Bush e seu ex-secretário da Defesa, Donald Rumsfeld, sejam processados por torturas e maus-tratos aos prisineiros de Guantánamo.

AFP |

"Judicialmente falando, os Estados Unidos têm uma clara obrigação", afirmou Manfred Nowak, referindo-se à necessidade de abrir um procedimento contra Bush e Rumsfeld, em entrevista ao canal alemão ZDF.

Ele enfatizou que Washington ratificou a convenção da ONU contra tortura que exige a lei seja usada contra as pessoas que a violam.

"Temos documentos que estão disponíveis ao público e provam que esses métodos de interrogatório foram intencionalmente ordenados por Rumsfeld", afirmou.

"Obviamente as mais altas autoridades do país estavam cientes disso", acrescentou Nowak, que autorizou um relatório investigativo das atividades na prisão de Guantánamo.

Indagado sobre a possibilidade de uma ação legal contra Bush e Rumsfeld, Nowak respondeu: "A princípio, sim. Acho que as provas estão sobre a mesa".

Um relatório bipartidário do Senado americano divulgado no mês passado revelou que Rumsfeld e outras altas autoridades estavam a par do abuso cometido contra os detentos da prisão em Cuba.

Dizia ainda que Rumsfeld autorizou técnicas ilegais de interrogatório em 2 de dezembro de 2002 e que essas atos de coação se baseavam num documento assinado por Bush em fevereiro de 2002.

ak/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG