Relator da ONU acusa China de torturar minoria da etnia uigur

VIENA - O relator das Nações Unidas sobre a tortura, o austríaco Manfred Nowak, afirmou hoje ter informação relativa ao maus-tratos de intelectuais e escritores da etnia muçulmana uigur por parte do governo chinês.

EFE |

Em declarações à rádio pública austríaca "ORF", Nowak denunciou que as autoridades chinesas estão praticando a tortura na região noroeste de Xinjiang, habitada pela etnia uigur.

A este respeito, ressaltou o "risco de morte" que ameaça os presos dessa etnia que os Estados Unidos mantêm na base militar de Guantánamo (Cuba), se eles forem devolvidos a seu país.

Segundo o regime de Pequim, existem conexões entre os separatistas uigures e a rede terrorista Al Qaeda.

No entanto, os defensores dos direitos humanos acusam o governo chinês de aproveitar a luta internacional contra o terrorismo liderada por Washington para fortalecer a repressão contra as minorias e as vozes críticas ao regime, disse Nowak.

Leia mais sobre China

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG