ameaçadas após conflito em Gaza (diplomata) - Mundo - iG" /

Relações EUA-Arábia Saudita estão ameaçadas após conflito em Gaza (diplomata)

A estreita relação estabelecida nos últimos anos entre os Estados Unidos e a Arábia Saudita estaria ameaçada após o apoio incondicional dado pelos americanos a Israel durante a ofensiva na Faixa de Gaza, advertiu neste sábado o ex-embaixador saudita em Washington, o príncipe Turki Al-Fayçal.

AFP |

Em entrevista ao canal americano CNN, o diplomata e ex-chefe do serviço secreto saudita estimou que os Estados Unidos devem mudar o tom no Oriente Médio e colocar mais pressão sobre Israel.

Chamando de "bárbara" e "catastrófica" a ofensiva israelense, que deixou cerca de 1.300 mortos, o príncipe disse que a administração do novo presidente americano deve convencer Israel a aceitar o plano de paz promovido por Riad, se não quiser perder a confiança do mundo árabe.

Este plano prevê a normalização das relações entre os países árabes e Israel, em troca, principalmente, da retirada israelense dos territórios árabes ocupados na guerra de 1967.

"Acredito que este seja um dos assuntos que ameaça a relação entre os EUA e o mundo árabe de maneira geral, e com a Arábia Saudita em particular", disse Al-Fayçal, referindo-se ao conflito em Gaza.

"A relação de 17 anos entre os Estados Unidos e o mundo árabe está ameaçada", insistiu.

Para o diplomata, o ex-presidente americano George W. Bush "deu a Israel, de modo cínico e imperdoável, carta branca para fazer o que quisesse em Gaza, sem reservas".

"O presidente Obama pode fazer algo e conseguir a confiança e o apoio das nações árabes muçulmanas mostrando que faz coisas de fato, e que não apenas expressa desejos", estimou.

Além disso, Al-Fayçal disse ter esperança de que Barack Obama incentive os EUA e Israel a negociar com o grupo radical islâmico Hamas, que controla Gaza.

O príncipe saudita ressaltou que não falava em nome do governo de seu país, mas muitos diplomatas e analistas acreditam que suas opiniões são compartilhadas por boa parte do governo de Riad.

pmh/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG