Reino Unido prende 3 acusados de envio de lixo ao Brasil

LONDRES - Três homens foram presos nesta quinta-feira no Reino Unido suspeitos de participar do envio de contêineres de lixo para o Brasil.

Redação com agências |

A operação foi realizada pela Agência de Meio Ambiente britânica e a polícia de Wiltshire, em Swindon, região onde supostamente estão as empresas apontadas como responsáveis pela transação.

Não foram divulgados os nomes das pessoas presas - com idades de 49, 28 e 24 anos. Em comunicado publicado em seu site, a agência afirmou que trabalha com as autoridades brasileiras para investigar as origens dos 99 contêineres de lixos exportados para o Brasil.


Lixo ilegal chegou ao Brasil em contêineres / AE

As transportadoras dos contêineres concordaram em levar a carga de volta ao Reino Unido , arcando com o custo do percurso.

De acordo com a entidade britânica, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) divulgou que pelo menos dois contêineres tinham uma mistura de lixo doméstico e de uso médico, como seringas e camisinhas. "A Agência de Meio Ambiente não pode confirmar isso neste estágio (da investigação)", informou a nota.

Investigação da Polícia Federal

O carregamento de lixo ilegal começou a chegar ao Brasil em fevereiro, mas só em junho a Receita Federal localizou os 64 contêineres. A carga entrou no País como se tivesse sido importada por empresas brasileiras. Na última semana, foram encontrados mais 25 contêineres no Porto de Santos.

A Polícia Federal trabalha com a hipótese de que brasileiros estejam envolvidos no transporte ilegal de lixo . De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Federal, há dois inquéritos para investigar a origem do lixo e por que os contêineres vieram do Reino Unido para o Brasil.

A chefe regional do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), de São Paulo, Ingrid Oberg, considera necessária uma investigação para se constatar a participação de uma quadrilha internacional de exportação de lixo. "Agora que vai começar a investigação", disse.

De acordo com o Ibama, são quatro empresas as responsáveis pela importação dos produtos. Em todos os casos, as empresas importadoras, duas sediadas no Rio Grande do Sul e duas em São Paulo, informaram originalmente que a carga era composta por polímeros de etileno e resíduos plásticos. No Rio Grande do Sul, uma das empresas notificada pelo Ibama já se prontificou a devolver os contêineres com lixo. Todas serão multadas pelo instituto.

O Ibama encaminhou denúncia ao Ministério Público Federal (MPF) e à Polícia Federal para investigar se houve má-fé da empresa importadora. No material encontrado, estariam pilhas, seringas, camisinhas, fraldas usadas e restos de comida.

* Com EFE e Agência Estado

Leia mais sobre lixo

    Leia tudo sobre: lixo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG