Bruxelas, 10 dez (EFE).- O Reino Unido foi o país da União Européia (EU) que mais concedeu nacionalidade a estrangeiros em 2006, segundo dados divulgados hoje pelo Eurostat, escritório estatístico comunitário.

O segundo lugar ficou com a França, onde 148 mil estrangeiros se naturalizaram, seguido da Alemanha (125 mil) e da Espanha (62.375).

Na proporção entre número de naturalizações para cada mil habitantes, o ranking é liderado pela Letônia (8,3), seguida da Suécia (5,7).

Entre os quatro primeiro colocados por números absolutos de nacionalizações, o Reino Unido é o que mais naturaliza por proporção populacional (2,5 para cada mil), seguido da França (2,3) da Alemanha (1,5), e da Espanha (1,4).

Em último, ficaram Lituânia, Polônia e Romênia.

Dos quatro primeiros colocados em números absolutos de naturalizações, a Itália (1º) e a Espanha (3º) foram os países que tiveram maior aumento em número de cidadãos estrangeiros que obtiveram a nacionalidade do país de 2003 a 2006, em proporção a suas populações - o 2º colocado foi Chipre.

Em números absolutos, o maior aumento foi da Espanha, que passou de 26.500 em 2003 a 62.375 em 2006.

No conjunto da UE, foram os cidadãos turcos (64 mil pessoas) os que mais se transformaram em cidadãos europeus, seguidos por marroquinos (48 mil) e iraquianos (23 mil).

Em quarto lugar aparecem os equatorianos, dos quais mais de 21 mil pessoas obtiveram nacionalidade de países europeus, quase todas na Espanha (19.477). EFE mvs/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.