Londres, 14 jul (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, afirmou hoje que intensificará as medidas contra o presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, enquanto criticou o veto da Rússia e da China às sanções contra este país.

Em entrevista coletiva realizada hoje em sua residência oficial do número 10 de Downing Street, Brown disse que deseja duras sanções da União Européia (UE) contra Mugabe.

Sobre o veto imposto na última sexta na ONU pela China e pela Rússia às sanções contra o Zimbábue, Brown afirmou que "é difícil justificar" a decisão destes dois países considerando que o mundo pede uma mudança no país africano.

"É muito difícil defender quando sabemos que temos um Governo ilegítimo que conserva o poder através da violência e que prende pessoas", declarou o primeiro-ministro do Reino Unido.

"É por isto que lamento o que fizeram China e Rússia. A Rússia em particular apoiava o que estávamos propondo no G8 - os sete países mais desenvolvidos do mundo e a Rússia -", acrescentou.

"Vamos intensificar nossas sanções. Vamos pedir à UE em sua reunião (que realizará) em poucos dias que acrescente nomes à lista de sanções", declarou Brown.

O veto da Rússia e da China evitou na última sexta que o Conselho de Segurança das Nações Unidas ditasse sanções contra o regime de Mugabe para obrigá-lo a negociar com seus opositores uma saída para a grave crise política que atravessa o país africano.

O G8 se comprometeu há poucos dias - na cúpula do Japão - a tomar medidas, inclusive financeiras, contra Mugabe. EFE vg/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.