Reino Unido arrecada 64,3 milhões de euros por direitos de emissão de CO2

Londres, 19 nov (EFE).- O Governo britânico anunciou hoje que arrecadou 54 milhões de libras (64,3 milhões de euros) no primeiro leilão de direitos de emissões de dióxido de carbono (CO2) realizado na Europa dentro da II fase do Sistema de Comércio de Emissões (ETS, na sigla em inglês) da União Européia.

EFE |

No total, informou o Governo, foram vendidos quatro milhões de permissões no marco de um plano que estabelece os esforços que cada país assumirá para cortar os gases do efeito estufa e as possibilidades oferecidas pelo armazenamento de CO2.

No marco da segunda fase do ETS (2008-2012), a UE estabeleceu um teto para as emissões de 12.000 fontes poluentes em todo o território do bloco, incluindo os setores energético e de indústria pesada, que são os responsáveis por quase metade da produção de gases do efeito estufa.

Os grupos de defesa do meio ambiente pediram que o dinheiro arrecadado seja dedicado a melhorar a eficiência energética de indústrias e lares, e ajudar os países pobres a se adaptarem à mudança climática, mas o Executivo britânico explicou que não deve destinar esse dinheiro a setores pré-determinados.

O secretário de Estado para Energia e Mudança Climática, Mike O'Brien, disse que o leilão de hoje "demonstra a contínua liderança do Reino Unido na redução das emissões de CO2 como parte da luta contra os perigos da mudança climática".

"A aplicação do ETS é crucial para manter o mais baixo possível o custo para a indústria e a economia na luta contra a mudança climática", acrescentou O'Brien.

Para o secretário de Estado, a resposta das empresas perante este leilão demonstra "a importância de usar o mercado para reduzir as emissões e criar os incentivos necessários para o desenvolvimento de uma tecnologia pouco contaminante".

As organizações Oxfam e World Wild Fund (WWF) pediram ao Governo trabalhista de Gordon Brown que o dinheiro arrecadado, que segundo seus cálculos chegará a 1,6 bilhão de euros para o ano de 2012, seja investido em reconverter o modelo da economia britânica e fazer de sua indústria um setor menos contaminante.

"Esta batalha não pode ser ganha se não encontramos o dinheiro para investir em soluções e para iniciar indústrias ecológicas", disse Keith Allott em nome da WWF.

O objetivo central, disse Tom Delay, diretor-executivo da Carbon Trust, organização criada pelo Governo britânico em resposta à mudança climática, é "utilizar uma tecnologia não contaminante que nos ajude a reduzir nossas emissões de dióxido de carbono em 80% para 2050". EFE fpb/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG