Reino Unido apóia diálogo do Paquistão com extremistas que entregarem armas

Islamabad, 21 abr (EFE).- O ministro das Relações Exteriores britânico, David Miliband, ofereceu hoje seu apoio ao Governo do Paquistão na polêmica decisão de tentar um diálogo com os extremistas para que entreguem as armas, em uma nova estratégia para lutar contra o terrorismo.

EFE |

"Nosso Governo apoiará o Paquistão na tarefa de reconciliação com aqueles que queiram acabar com a violência para construir a estabilidade e a prosperidade do país", disse Miliband em entrevista coletiva conjunta com seu colega paquistanês, Shah Mehmood Qureshi.

O ministro britânico apreciou que o Paquistão tenha decidido orientar "a luta contra a violência nos planos político, econômico e de segurança".

Já os Estados Unidos não viram com bons olhos que o novo Governo paquistanês anunciasse uma revisão da estratégia de luta contra o terrorismo aplicada nos últimos anos pelo presidente Pervez Musharraf, e questionou a possibilidade de negociar com "terroristas".

O Governo americano acusa o Paquistão de ter permitido que seu cinturão tribal na fronteira com o Afeganistão tenha se transformado em refúgio de talibãs e membros da rede terrorista Al Qaeda, e hoje Miliband declarou que há "provas claras" de sua presença na região.

O ministro de Relações Exteriores britânico aprovou a transição democrática iniciada no Paquistão após a eleição de fevereiro, vencida pela oposição, e elogiou a "vontade de forças políticas tão diferentes entre si de trabalharem juntas no Governo do país".

"A democracia é o melhor aliado da estabilidade", afirmou.

Miliband disse também que o Reino Unido será uma das principais vozes para pleitear o reingresso do Paquistão na Commonwealth.

Qureshi está confiante de que a entrada na organização traria "resultados positivos" em breve, quando se tomar a decisão em maio.

Qureshi destacou o "compromisso comum de combater o extremismo" no Paquistão e no Reino Unido e comentou que os dois países "mantêm uma postura similar a respeito da percepção regional e global".

Quanto a isto, o ministro paquistanês disse que "o Reino Unido contribui notavelmente para o desenvolvimento socioeconômico e para a estabilidade regional".

Qureshi acrescentou que seu Governo "está fazendo tudo o que está em suas mãos para conseguir a libertação" do embaixador paquistanês no Afeganistão, Tariq Azizuddin, que foi seqüestrado por um grupo de talibãs há mais de dois meses enquanto viajava de carro pelo cinturão tribal, em direção a Cabul.

Qureshi explicou que se reuniu de manhã com a esposa e os filhos de Azizuddin para expressar a vontade do Governo de acabar com o seqüestro.

O chefe da diplomacia britânica, que chegou ontem ao Paquistão, se reuniu durante sua visita com os líderes dos principais partidos políticos do país, assim como com Musharraf e com o primeiro-ministro, Yousuf Raza Gillani.

Segundo a emissora "Geo TV", Musharraf reiterou hoje a Miliband que as únicas forças de segurança autorizadas a operar contra os insurgentes no Paquistão são as paquistanesas, enquanto garantiu que seu país continuará cooperando na guerra contra o terrorismo. EFE igb/bf/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG