Rei Juan Carlos entregará os Prêmios de Jornalismo em 13 de abril

Madri, 7 abr (EFE).- Os reis Juan Carlos e Sofia entregarão em 13 de abril os Prêmios Internacionais de Jornalismo Rei da Espanha, que em sua 27ª edição serão entregues a profissionais do Brasil, Colômbia, México, Argentina e Espanha.

EFE |

Organizados anualmente pela Agência Efe e a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), os prêmios serão entregues, junto com o Prêmio Don Quixote de Jornalismo em sua 6ª edição, em uma solenidade realizada na Casa da América de Madri.

O ato, presidido pelos Reis, contará com a presença da secretária de Estado espanhola de Cooperação Internacional, Soraya Rodríguez, o presidente da comunidade autônoma de Castilla-La Mancha, José María Barreda, o presidente da Agência Efe, Álex Grijelmo, e a diretora da Casa da América, Imma Turbau.

Personalidades do mundo da cultura, política, negócios, comunicação e representantes diplomáticos também assistirão à cerimônia.

A 27ª edição destes prêmios distinguiu o trabalho do escritor mexicano Juan Villoro, agraciado por uma reportagem sobre o narcotráfico; da brasileira Eliane Brum; as argentinas María Arce e Paula Lugones e o fotógrafo colombiano Manuel Saldarriaga.

Completam a lista os espanhóis Antonio Parreño e Rosa de Santos, com o Prêmio de Televisão, Nieves Concostrina (Rádio) e o escritor Juan José Millás, Prêmio Don Quixote, patrocinado pelo Governo regional de Castilla-La Mancha.

Villoro recebeu o Prêmio na categoria Ibero-americano por sua reportagem "La alfombra roja, el imperio del narcoterrorismo", publicado na publicação espanhola "El Periódico de Catalunya", no qual aborda a questão do narcotráfico no México.

Uma imagem intitulada "Inocencia en medio de la coca", publicada no jornal "El Colombiano", de Medellín, valeu ao repórter fotográfico colombiano Manuel Salvador Saldarriaga Quintero o Prêmio na categoria de Fotografia.

A brasileira Eliane Brum conquistou o Prêmio na modalidade de Imprensa pela reportagem "O islã dos manos", publicado na revista Época, sobre o crescimento do islamismo entre a população negra do Brasil, especialmente na periferia de São Paulo.

Um original trabalho sobre diversas faces da crise econômica nos EUA outorgou o Prêmio Internacional Rei da Espanha, na categoria de Jornalismo Digital, às argentinas María Arce e Paula Mercedes Lugones, com o título "Rota 66, o longo caminho rumo à Casa Branca", publicado na edição digital do jornal argentino "Clarín" (clarin.com).

O Prêmio Ibero-americano e o Dom Quixote estão dotados com 9 mil euros (US$ 12 mil), enquanto as demais categorias recebem 6 mil euros (US$ 8 mil).

Nesta edição, foram apresentados 161 trabalhos, com o Brasil, com um total de 42, como o país com mais aspirantes, seguido pela Colômbia, com 37, Argentina, com 24, e Espanha, com 22.

Também concorreram jornalistas do México, Peru, Chile, Estados Unidos, Venezuela, Cuba, Equador, Uruguai, El Salvador, Portugal, Paraguai, Panamá, Guatemala e Bolívia. EFE mlg/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG