Rei entrega Prêmio a Macapagal e a Vargas Llosa pelo apoio ao espanhol

Madri, 15 abr (EFE).- O rei Juan Carlos da Espanha entregou hoje o II Prêmio Internacional Don Quixote de la Mancha à presidente das Filipinas, Gloria Macapagal Arroyo, e ao romancista hispânico-peruano Mario Vargas Llosa, por sua contribuição ao conhecimento e à difusão da cultura e da língua espanhola.

EFE |

O Rei e a rainha Sofia presidiram a cerimônia de entrega do Prêmio no Palácio da Zarzuela, onde os monarcas e os príncipes de Astúrias, Felipe de Borbón e Letizia Ortíz, ofereceram um almoço em homenagem à presidente das Filipinas e seu marido, José Miguel Arroyo.

Promovido o Governo regional de Castilla-la Mancha e a Fundação Santillana, o júri decidiu premiar Macapagal pela introdução do ensino do espanhol nas escolas de seu país, o que representa um reconhecimento pelo Governo filipino deste idioma como língua de comunicação global.

No caso de Vargas Llosa, a distinção é uma homenagem aos 50 anos de trajetória deste escritor, que "não deixou de enriquecer a língua espanhola" e cuja obra se transformou em "uma das mais sólidas e prestigiosas referências da cultura".

O chefe do Governo regional, José María Barreda, presidiu o júri, do qual fizeram parte o diretor da Real Academia Espanhola, Víctor García de la Concha; o presidente do Real Fundação de Toledo, Gregorio Marañón y Bertrán de Lis; a escritora Nélida Piñon, o executivo-chefe de PRISA, Juan Luis Cebrián, e o presidente do Grupo Santillana, Emiliano Martínez.

A cerimônia de entrega esteve precedida de um encontro do rei Juan Carlos com a presidente Macapagal, ao que assistiu o ministro de Exteriores filipino, Alberto Rómulo.

Em sua primeira edição, o Prêmio Internacional "Don Quixote de la Mancha" foi concedido ao presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, e ao escritor mexicano Carlos Fuentes. EFE rf/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG