Forbes - Mundo - iG" /

Rei da Tailândia é o mais rico dentro da realeza, segundo Forbes

Nova York, 22 ago (EFE) - O rei da Tailândia, Bhumibol Adulyadej, é o membro da realeza mais rico do mundo, com uma fortuna de US$ 35 bilhões, segundo a revista Forbes.

EFE |

Com 80 anos, o rei da Tailândia é o monarca constitucional do país que mais tempo viveu e reinou, pois, em 2006, comemorou o 60º aniversário da entronização.

A "Forbes" elaborou uma lista dos 15 membros de famílias reais mais ricos do mundo, que, em conjunto, acumulam uma fortuna de US$ 131 bilhões, 27,4% a mais que os US$ 95 bilhões que reuniam há um ano, segundo a publicação.

Esses 15 membros da realeza conseguiram manter suas riquezas apesar das polêmicas nas quais alguns deles estiveram envolvidos, que "vão desde a evasão de impostos à dissolução dos Parlamentos na Suazilândia e do Kuwait", afirma a "Forbes".

A revista detalha que o monarca tailandês tirou o primeiro lugar do sultão Hassanal Bolkiah, de Brunei.

Este último está agora em quarto lugar, já que sua fortuna se reduziu a US$ 20 bilhões.

O segundo lugar da lista é ocupado pelo xeque Khalifa bin Zayed al-Nahyan dos Emirados Árabes Unidos, com uma fortuna de US$ 23 bilhões, e o terceiro pelo rei Abdullah da Arábia Saudita, com US$ 21 bilhões.

Quatro membros das famílias reais européias fazem parte da lista: o príncipe Hans-Adam II de Liechtenstein (sexto lugar, com US$ 5 bilhões), o príncipe Albert II de Mônaco (nono, com US$ 1,4 bilhão), a rainha Elizabeth II da Inglaterra (12º, com US$ 650 milhões) e a rainha Beatrix da Holanda (14º, com US$ 300 milhões).

A "Forbes" informa que, na hora de calcular a fortuna da rainha da Inglaterra, não leva em conta o valor do Palácio de Buckingham nem das jóias da coroa britânica, porque considerou que pertencem ao povo, e não à monarca.

Na hora de calcular sua riqueza, a revista leva em conta as propriedades que tem na Inglaterra e na Escócia, a coleção de arte e a de selos que herdou do avô.

O rei Muhammad VI do Marrocos (oitavo, com US$ 1,5 bilhão, frente aos US$ 2 bilhões de 2007) e o sultão de Brunei são os dois únicos membros da realeza que fazem parte desta lista e que viram reduzida sua riqueza em relação ao ano passado.

Também fazem parte da lista o xeque Mohammed bin Rashed al-Maktoum, de Dubai (quinto, com US$ 18 bilhões), o xeque Sheikh Hamad bin Khalifa Al-Thani, do Catar (sétimo, com US$ 2 bilhões), e o sultão Qabus bin Said, de Omã (décimo, com US$ 1,1 bilhão).

Completam a lista dos 15 membros de famílias reais mais ricos do mundo o príncipe Karim Aga Khan (11º, com US$ 1 bilhão), o xeque Sabah al-Ahmad al-Sabah, do Kuwait (13º, com US$ 500 milhões), e o rei Mswati III, da Suazilândia (15º, com US$ 200 milhões). EFE bj/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG