O rei da Jordânia, Abdullah II, pediu ao Papa Bento XVI, que nesta sexta-feira iniciou sua primeira visita ao Oriente Médio, a abertura de um novo diálogo entre cristãos e muçulmanos e a trabalhar por uma solução do conflito entre israelenses e palestinos.

Em um discurso durante a cerimônia de recepção ao Papa no aeroporto internacional de Amã, a primeira etapa da visita de oito dias de Bento XVI a Terra Santa, o rei declarou: "Hoje devemos renovar juntos nosso compromisso para o respeito mútuo. Aqui, agora, devemos criar um novo diálogo global, de compreensão e boa vontade".

"As vozes da provocação, das ideologias que têm a ambição de dividir, fazem pairar a ameaça de sofrimentos indizíveis. Devemos rejeitar tal orientação para o futuro de nosso mundo", completou o rei.

"Desejo que este diálogo possa dar uma contribuição importante para a Terra Santa, onde devemos ajudar juntos a despejar a sombra do conflito, por meio de uma solução negociada que responda ao direito dos palestinos à liberdade e ao direito dos israelenses à segurança".

rh/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.