Rei da Jordânia adverte sobre riscos de fracasso no diálogo Israel-Palestina

Rei advertiu que o fracasso das negociações se refletiria de forma negativa em todas as partes

EFE |

O rei Abdullah II da Jordânia advertiu neste domingo que todo mundo "pagará um preço" caso fracasse o diálogo direto entre palestinos e israelenses, relançado no último dia 2 em Washington.

O monarca fez essas declarações durante uma reunião com os editores-chefes de vários jornais da Jordânia, aos quais informou sobre sua visita aos Estados Unidos para participar das conversas prévias ao reatamento das negociações diretas, segundo um comunicado da Casa Real jordaniana.

Segundo a nota, "o rei advertiu que o fracasso das negociações se refletiria de forma negativa em todas as partes, e todos os Estados do mundo e a região pagariam seu preço porque a alternativa seria mais guerras e conflitos".

Para Abdullah II, as conversas diretas "proporcionam uma oportunidade de resolver o conflito palestino-israelense, se as partes abordam as negociações de uma maneira positiva, de tal forma que os assuntos para uma solução definitiva sejam tratados dentro de uma visão de dois Estados".

O rei considerou que o estabelecimento de um Estado palestino é "de interesse estratégico" para a Jordânia, que continuará "dando seu respaldo aos irmãos palestinos na busca da liberdade e de um Estado", segundo o comunicado.

O monarca acrescentou que o presidente dos EUA, Barack Obama, lhe assegurou "seu compromisso pessoal para conseguir a paz sobre a base de uma solução de dois Estados, que garanta o estabelecimento de Estado palestino independente que viva em paz com Israel".

A segunda rodada das conversas diretas de paz será realizada no próximo dia 14 na cidade egípcia de Sharm El Sheikh, junto à costa do Mar Vermelho, anunciou hoje o Ministério de Exteriores do Egito.

    Leia tudo sobre: jordâniapalestinaisrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG