Rei Abdullah abre conferência pedindo diálogo construtivo entre as religiões

O rei Abdullah da Arábia Saudita pediu nesta quarta-feira um intercâmbio construtivo entre as religiões durante a abertura da Conferência Mundial sobre o Diálogo Religioso que reúne representantes das principais religioões mundiais e que será realizada até sexta-feira, em Madri.

AFP |

"Todos acreditamos num Deus único. E nos reunimos hoje para dizer que as religiões devem ser um meio para superar as diferenças e não nos levar a disputas", declarou, acrescentando que "o terrorismo, a desintegração da família, as drogas, a exploração dos fracos são conseqüência de um vazio espiritual".

A conferência é uma iniciativa da Arábia Saudita. Segundo o vice-ministro saudita de Cultura e Informação, Saleh Al-Namlah, 200 participantes no encontro representam as principais religiões: muçulmanos, cristãos, judeus e budistas.

Confirmaram presença o secretário-geral do Congresso Judeu Mundial, Michael Schneider, e o cardeal Jean-Louis Tauran, encarregado do Vaticano para o diálogo com o Islã.

Para o secretário-geral da Liga Islâmica Mundial, Abdullah Ibn Abdul Mohsin Al-Turki, "o objetivo do encontro é o conhecimento inter-religioso e a busca de modos de cooperação".

"Não trataremos assuntos religiosos mas temas comuns entre as religiões como a ética, a família, o meio ambiente", precisou, lembrando que "não será abordada nenhuma questão política".

A Espanha foi escolhida para a conferência por ser "o lugar natural para este tipo de diálogo" depois de ter sido durante séculos um local de coabitação entre as três grandes religiões monoteístas, explicou o embaixador saudita na Espanha, Saud bin Naif.

A Arábia Saudita continua sendo, no entanto, o único país árabe que proíbe em seu solo qualquer prática religiosa diferente do Islã.

ot/gr/sd/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG