Região uigur chinesa de Xinjiang registra novos incidentes

Pequim, 3 set (EFE).- Novos incidentes ocorreram na região autônoma chinesa de Xinjiang, habitada pela etnia uigur e cenário, em julho, de violentos protestos étnicos que deixaram centenas de mortos, informou hoje a agência oficial Xinhua.

EFE |

A imprensa oficial revelou hoje que foram detidas mais de 15 pessoas que teriam atacado pedestres com seringas em Urumqi, ataques que as autoridades vinculam aos protestos étnicos de 5 de julho, as mais violentas em décadas na China, com 197 mortos.

Não foi especificada a etnia dos atacantes, que poderiam ser uigures, segundo testemunhas, enquanto as autoridades locais afirmam que entre as vítimas há chineses, uigures, hui, cazaques e mongóis.

O Departamento de Saúde de Xinjiang informou que nenhuma das vítimas foi infectada, mas ainda estão realizando exames médicos.

Estes ataques com seringas "causaram grande indignação entre todos os grupos étnicos de Xinjiang", disse Zhu Hailun, responsável de assuntos políticos e legais do Partido Comunista na região, em referências aos protestos contra a falta de segurança.

O escritório de informação do Governo local de Xinjiang e a do Conselho de Estado, contatadas pela Agência Efe, disseram não saber se tinham acontecido protestos.

Segundo a imprensa internacional, estes novos protestos podem ter reunido centenas ou milhares de membros da etnia majoritária chinesa, os han, em protesto contra a deterioração da segurança registrada na região desde julho. EFE mz-abc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG