Região sunita de Anbar nas mãos dos iraquianos no primeiro dia do Ramadã

No primeiro dia do Ramadã dos sunitas do Iraque, as forças de segurança iraquianas assumiram nesta segunda-feira o controle da província ocidental de Al-Anbar, que foi o reduto da revolta contra as forças americanas na invasão de abril de 2003.

AFP |

"A transferência da segurança das mãos dos americanos foi concluída", afirmou o conselheiro para a segurança nacional Mouaffak al-Roubaïe.

"Al-Anbar, que foi a região mais difícil do país, comemora hoje a transferência da segurança para as mãos iraquianas", acrescentou durante a cerimônia realizada nos arredores da sede do governo de Ramadi.

"Quanto melhor nossas forças forem treinadas e equipadas, menos precisaremos das forças da coalizão. As forças iraquianas estão mais aptas a realizar seu trabalho", destacou Roubaïe, representante do governo.

A cerimônia foi simples: membros das tribos de Al-Anbar, com bandeiras iraquianas, foram para a entrada da sede do governo local. Os americanos ofereceram ao exército um bastão envolvido na bandeira americana, depois o comandante dos Marines de Al-Anbar e o governador da província assinaram o documento de transferência.

Os militares americanos destacaram no entanto que a guerra contra os seguidores de Osama bin Laden não terminou.

"Esta é a nova meta do Iraque democrata. Ela demonstra a aptidão das forças iraquianas. A Al-Qaeda não foi totalmente liquidada e tenho certeza que, com as forças iraquianas, vamos impedir a Al-Qaeda e outros insurgentes de voltar", afirmou o general Lloyd Austin, "número dois" das forças americanas no Iraque.

Dezenas de milhares de soldados e policiais iraquianos e marines americanos estavam em estado de alerta nesta região amplamente desértica e os veículos estavam impedidos de circular em Ramadi para evitar as operações suicidas.

"Certamente ainda teremos incidentes, mas isso faz parte da vida normal. A polícia iraquiana tem fontes de informações melhores que as nossas", afirmou à imprensa o oficial superior americano Martin Post

Al-Anbar, onde a segurança melhorou consideravelmente desde à guerra, é a 11ª das 18 províncias do Iraque a mudar de mãos desde julho de 2006, mas a primeira sunita.

Assim que a transferência for concluída, as forças americanas voltarão para suas bases e participarão nas operações somente se o governador solicitá-las.

Os sunitas de Al-Anbar foram os primeiros a se opor aos americanos após a derrubada de Saddam Hussein. Durante os primeiros anos, a maior província do país se tornou um campo de batalha, Ramadi, sua capital, e principalmente Fallujah, onde o exército americano teve de intervir duas vezes para controlar a cidade.

kat/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG