Região indiana desiste de usar ratos para reduzir fome

Nova Délhi, 7 dez (EFE).- O Governo da região de Bihar, na Índia, paralisou um polêmico plano que buscava fomentar a criação de ratos em fazendas por parte dos setores mais pobres da sociedade, informou hoje uma fonte oficial.

EFE |

O plano afetaria a comunidade intocável (sem casta), uma das mais pobres da região, mas hoje o chefe do Governo regional, Nitish Kumar, assegurou que esse projeto já não existe porque ele mesmo pediu que fosse abandonado.

A proposta era dirigida à humilde comunidade musahar, cujo nome provém da prática tradicional de se alimentar de ratos, embora seus líderes assegurem que a criação desses animais em fazendas não aliviaria sua pobreza.

Essa comunidade de intocáveis, que representa 16% da população indiana, forma uma heterogênea reunião de grupos que se encontram fora do sistema de castas e sofreram bárbaras discriminações ao longo dos séculos.

Nas zonas rurais, os intocáveis vivem ainda em áreas separadas, bebem de poços diferentes, têm proibida a entrada em templos e não podem chegar perto de outras comunidades.

A proposta buscava proporcionar uma atividade econômica aos musahar, mas em seu lugar despertou fortes protestos da oposição de Bihar e de distintas organizações de ajuda.

Cerca de dois milhões de musahar vivem em condições de pobreza na região de Bihar: só 5% deles sabem ler e escrever e a maioria sofre com a discriminação.

Em paralelo à criação de ratos, o Governo regional tinha anunciado um projeto piloto para popularizar o consumo de carne como parte de seus esforços para melhorar a situação dessa comunidade.

EFE daa/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG