Reforma leva Igreja a mudar túmulo de Santo Antônio

O túmulo que guarda os restos de Santo Antônio, localizado na capela da basílica de Pádua, no norte da Itália, vai ter que mudar de lugar devido às obras de restauração do templo. Como as paredes da Capela de Santo Antônio, situada do lado esquerdo do altar da basílica, têm problemas de inflitração, o túmulo será transferido para o lado direito.

BBC Brasil |

A umidade coloca em risco os preciosos baixos-relevos de mármore de 1500, que enfeitam o local onde estão guardados os restos do santo desde 1263.

A mudança será realizada na noite de 12 de abril, com uma procissão a portas fechadas.

Apenas os frades franciscanos, que cuidam da basílica e são da mesma ordem religiosa do santo, vão participar da cerimônia.

Visitas mantidas
O espaço da capela é pequeno, e durante as obras de restauração ela teria de permanecer fechada para os visitantes.

Com a transferência dos restos de Santo Antônio para a outra área da basílica, os 5 milhões de peregrinos que todos os anos visitam o templo vão poder continuar a render homenagem ao santo, conhecido como milagreiro.

"Os visitantes poderão continuar a rezar diante do túmulo de Santo Antônio. Seus restos vão apenas ser transferidos de lugar, dentro da própria basílica, para que os restauradores trabalhem com tranqüilidade", disse à BBC Brasil o padre Alessandro Ratti, porta-voz da Basílica de Santo Antônio de Pádua.

Segundo o padre, os ossos estão guardados dentro de uma urna de cristal, que por sua vez está dentro de uma caixa de madeira.

Na mudança, a caixa de madeira será colocada dentro de um túmulo de mármore. Durante a operação, ninguém vai ver nem tocar os restos os restos do santo.

Língua
"Não será um reconhecimento", disse Ratti. O reconhecimento dos restos é feito na presença de autoridades vaticanas, logo depois que o santo é canonizado. No caso de Santo Antônio, o primeiro reconhecimento foi no dia 8 de abril de 1263.

"O corpo tinha virado pó, só restavam os ossos. Mas a língua estava intacta e há testemunhas oculares disso", disse o padre.

A língua de Santo Antônio não se decompôs, apenas mudou de cor, ficando um pouco marrom, segundo o religioso, mesmo depois de oito séculos. É uma das relíquias mais conhecidas e veneradas da Igreja Católica.

Durante a operação de reconhecimento, a língua foi retirada e colocada em uma urna, e desde então está em uma área especial da Basílica de Pádua, ao lado de outra relíquia, uma parte do queixo do santo. As duas podem ser vistas pelos fiéis.

"A língua, como todas as partes moles do corpo, é uma das primeiras que se decompõem. O fato de ela ter permanecido intacta foi interpretado como um sinal de Deus, que quis preservar essa língua, visto que Santo Antônio era conhecido por ser um grande pregador", disse Ratti.

Um segundo reconhecimento dos restos foi realizado em 1981, por ordem do papa João Paulo 2°.

Santuários
Santo Antônio é um dos santos mais venerados da Igreja Católica. Há santuários dele em diversos países, não só da Europa.

"Há também nas Américas, inclusive no Brasil, onde o santo ficou conhecido graças aos portugueses, que levaram seu culto para lá e até para a Índia", disse o religioso.

No Rio de Janeiro, o convento dedicado ao santo, no largo da Carioca, completa 400 anos em junho deste ano.

Santo Antônio nasceu em Portugal e viveu entre Lisboa e Coimbra. Depois de conhecer os franciscanos, decidiu entrar nesta ordem religiosa e viajar a pé pregando o Evangelho e ajudando os pobres.

Em 1221 encontrou São Francisco, em Assis. De lá foi mandado para o norte da Itália, onde morreu, na cidade de Pádua, aos 36 anos de idade.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG