Pentágono moderniza antiga base com restaurantes, praças, quadras e até pista de kart

O Pentágono gastou pelo menos US$ 500 milhões em melhorias da base naval americana e sua prisão para supostos terroristas na Baía de Guantánamo, informou hoje o jornal "The Washington Post".

"Essa despesa transformou o que outrora foi uma base esquecida no Caribe em uma das instalações militares e prisões mais seguras do mundo", acrescenta o artigo. "E essa despesa não inclui os bônus por construção que, habitualmente, rondam os milhões de dólares".

Cerca de 200 pessoas ainda seguem presas em Guantánamo
Getty
Cerca de 200 pessoas ainda seguem presas em Guantánamo

Na entrada da base naval - localizada em um território cubano que os Estados Unidos alugaram - há um "elegante letreiro eletrônico sobre dois pilares de concreto. Em amarelo esmaltado sobre um fundo azul metálico há um mapa de Cuba 'a pérola das Antilhas', e em cima se lê a hora e a temperatura". "Bem-vindos a bordo", diz o luminoso.

Segundo o "Post" esse letreiro e outro menor perto do aeroporto custaram US$ 188 mil. Uma quadra de vôlei abandonada custou US$ 249 mil, uma pista para corridas de kart, que não é usada, custou US$ 296 mil, e outros US$ 3,5 milhões foram gastos em 27 pracinhas de jogos que frequentemente estão vazias.

"O Pentágono também gastou US$ 683 mil para renovar um café que vende salgados e cafés Starbucks, e US$ 773 mil para remodelar um edifício que abriga um restaurante KFC/Taco Bell", enumera a matéria.

O jornal esclareceu que nos US$ 500 milhões também não estão incluídos os custos anuais de operação da base e da prisão, de cerca de US$ 150 milhões.

"Soma-se a isto os rombos no orçamento secreto, tais como o Campo 7 que abriga os presos de 'alto valor', apelidado de Campo Platinad, e a fatura da base de 117 quilômetros quadrados facilmente se aproxima aos US$ 2 bilhões", disse o jornal.

O governo dos Estados Unidos começou a deter em janeiro de 1982 centenas de homens capturados em diferentes partes do mundo como supostos terroristas na base de Guantánamo.

O presidente Barack Obama, que tinha prometido fechar a prisão em seu primeiro ano de mandato, mas encontrou problemas para realocar alguns prisioneiros e julgar outros. Assim, permanecem em Guantánamo ao menos 200 presos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.