Referendo sobre o euro é descartado por tempo indeterminado na Dinamarca

Copenhague, 8 ago (EFE).- O primeiro-ministro dinamarquês, Anders Fogh Rasmussen, anunciou hoje o adiamento por tempo indeterminado do referendo sobre o euro e outras exceções dinamarquesas, pela insegurança criada após o não irlandês ao Tratado de Lisboa este ano.

EFE |

"Em princípio, tínhamos pensado que podia ser promovida uma discussão sobre a UE e talvez uma consulta popular. Mas por culpa do referendo irlandês, a situação não está clara, e essa possibilidade já não é atual", confessou hoje Rasmussen em entrevista ao jornal local "Jyllands-Posten".

Rasmussen anunciou em novembro último, ao dar início a seu novo mandato - cujo fim está previsto para 2011 -, que submeteria a referendo as exceções dinamarquesas ao Tratado de Maastricht e que afetam quatro áreas: cidadania unidade monetária e econômica - incluído a utilização do euro em substituição à coroa dinamarquesa -, defesa e cooperação policial/jurídica.

Embora o Governo dinamarquês nunca tenha confirmado que haveria uma ou várias consultas, ou mesmo uma data definitiva para sua convocação, tinha insinuado que seriam realizadas ainda este ano.

O líder dinamarquês reiterou hoje sua opinião de que as exceções "prejudicam" a Dinamarca, e que o correto é que a população expresse sua opinião sobre o assunto durante sua legislatura.

"Seria exagerado neste momento fixar prazos, até que não se aclare a situação na Irlanda", afirmou o primeiro-ministro liberal.

O Parlamento dinamarquês aprovou em 24 de abril último, e por folgada maioria de mais de dois terços, o Tratado de Lisboa. EFE alc/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG