O canal de TV Fox decidiu não exibir na Argentina e no resto da América Latina um capítulo da série de desenho animado Os Simpsons, que fazia referência à ditadura de (Juan Domingo) Perón e dizia que o ex-presidente fazia as pessoas desaparecerem. O 10º episódio da 19ª temporada da popular série não foi ao ar no domingo, como estava previsto.

Em um e-mail mandado posteriormente aos meios de comunicação, a Fox explicou: "Diante da possibilidade de que o capítulo contribua para reabrir feridas muito doloridas para a Argentina, Fox tomou a decisão de não exibí-lo."
No episódio, Springfield, onde mora a família Simpson, se prepara para a realização das eleições primárias dos Estados Unidos.

A decepção em relação aos candidatos que se apresentaram, entre eles um garoto de oito anos, levou o personagem Homer e seus amigos a criticarem os políticos em conversa no bar de Moe.

"O melhor seria abolir a democracia para sempre. Realmente eu gostaria de uma ditadura militar como a de Juan Perón. Quando ele desaparecia com você, você permanecia desaparecido", disse o personagem Carl.

"Além disso, sua esposa era a Madonna", acrescenta Lenny, numa referência irônica ao filme Evita, em que a cantora pop faz o papel da segunda esposa do general argentino.

Interpretações
Pouco depois de ser exibido nos Estados Unidos em janeiro, o episódio foi colocado em um portal da internet, onde foi visto por muitos argentinos.

Imediatamente começou uma polêmica sobre Perón, que ocupou a Presidência argentina em três períodos (1946-1952, 1952-1955 e 1973-1974).

Houve quem protestasse contra o que chamou de "erro histórico", de atribuir a Perón os desaparecidos do último governo militar argentino (1976-1983), e quem ficasse desgostoso com o uso do termo "ditador".

Já os defensores da série criada por Matt Groening insistiram que se tratava de uma confusão deliberada, seguindo a ridicularização da política retratada no episódio, e seguindo o estilo geral de Os Simpsons.

O ex-deputado Lorenzo Pepe, do Partido Justicialista, de inspiração peronista, pediu ao Comitê Federal de Radiodifusão (Comfer), que regulamenta os meios de comunicação da Argentina, que proibisse a exibição do capítulo no país porque ele "ofende a verdade histórica".

Ainda assim, a assessoria de imprensa do Comfer disse à BBC Mundo que o pedido de Pepe foi rejeitado pois o órgão "não exerce censura, mas faz um controle posterior das exibições apenas se houver um pedido". O Comfer deixou claro que o polêmico capítulo de Os Simpsons deixou de ser exibido na Argentina por decisão da Fox.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.