Reféns europeus morrem durante resgate na Nigéria

Sequestrados em maio, o italiano Franco Lamolinara e o britânico Cristopher McManus trabalhavam como engenheiros em empresa de construção

iG São Paulo |

Um cidadão britânico e um italiano, sequestrados na Nigéria desde de 12 de maio do ano passado, morreram durante uma operação de resgate realizada pelas forças de segurança nigerianas com o apoio operacional do Reino Unido.

AP
Foto do brtiânico Chris McManus, um dos sequestrados mortos durante o resgate
O governo da Itália informou o fato em comunicado, no qual afirmo que o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, transmitiu a trágica notícia a seu colega italiano, Mario Monti, por telefone nesta quinta-feira.

Tensão: Ataques contra cristãos na Nigéria matam ao menos 31

Os sequestrados foram identificados como Franco Lamolinara e Cristopher McManus, engenheiros que foram sequestrados na cidade nigeriana de Birnin Kebbi, capital do Estado de Kebbi, no noroeste do país. O Estado fica na fronteira com o Níger, onde, no passado, o grupo islamita Al-Qaeda do Magreb Islâmico (AQMI) reivindicou o sequestro de trabalhadores estrangeiros. Em agosto, um vídeo mostrava os homens de joelhos e com os olhos vendados, descrevendo seus sequestradores como membros da Al-Qaeda.

Segundo a reconstituição dos fatos, informada pelas autoridades britânicas aos italianos, a morte dos reféns aconteceu na mão dos sequestradores, cujas identidades não foram reveladas.

"Cameron expressou a Monti suas profundas condolências pela vítima italiana, lamentando o dramático final da iniciativa militar, decidida pelas autoridades nigerianas e britânicas com a convicção que esta era a última oportunidade para salvar a vida dos reféns", detalha o comunicado.

"Nas últimas horas foi verificada uma aceleração imprevista e, perante o temor de um iminente perigo de vida para os sequestrados, a operação foi iniciada de modo autônomo pelas autoridades nigerianas com o apoio britânico, informando disso às autoridades italianas", acrescenta a nota.

Ação

O Executivo italiano explicou que havia acompanhado o tempo todo o desenvolvimento do sequestro "em estreita conexão" com as autoridades britânicas. Os reféns, que foram sequestrados em um apartamento por um grupo de homens armados, trabalhavam na B. Stabilini, empresa de construção italiana com sede na Nigéria que ajudava na construção de um prédio do Banco Central da Nigéria em Birnin-Kebbi.

Terror: Nigéria declara estado de emergência e fecha fronteiras

Segundo informou a polícia nigeriana após o sequestro, os homens armados não levaram uma grande quantidade de dinheiro que se encontrava no apartamento e não conseguiram capturar um colega alemão, que conseguiu escapar graças a uma rede metálica situada no exterior do edifício.

*Com AFP e EFE

    Leia tudo sobre: refénsnigériasequestroreino unidoitália

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG