Reféns britânicos no Iraque estariam mortos, segundo fontes do governo

Dois britânicos, funcionários de empresas de segurança que operam no Iraque e que foram sequestrados em 2007 teriam sido mortos segundo informações passadas à BBC por fontes do governo da Grã-Bretanha. Os guardas Alan McMenemy, de Glasgow, e Alec Maclachlan, do sul do País de Gales, foram sequestrados junto com outros três britânicos.

BBC Brasil |

Dois deles foram mortos a tiros e a situação do quinto refém, Peter Moore, ainda é desconhecida.

De acordo com o correspondente da BBC para o setor de segurança, Frank Gardner, no mês passado, ao entregarem os corpos de dois seguranças que eram mantidos como reféns â¿ Jason Creswell e Jason Swindlehurst â¿ os sequestradores teriam dito que outros dois britânicos também tinham sido mortos .

Inicialmente, as informações não puderam ser verificadas, mas fontes do Ministério do Exterior britânico disseram acreditar que a história é verdadeira.

Agora, o governo britânico se concentra na libertação de Peter Moore, que é especialista em tecnologia.

A última prova de vida enviada pelos sequestradores de Moore foi um vídeo entregue em março, mas ainda não se sabe quando o filme foi feito.

Empenho
Segundo informações levantadas pela BBC autoridades britânicas teriam comunicado às famílias de McMenemy e de Maclachan na semana passada que eles provavelmente teriam sido mortos no cativeiro.

"Estamos todos profundamente preocupados e perturbados ao ouvir as informações de que Alec e Alan morreram nas mãos de seus sequestradores, assim como Jason Swindlehurst e Jason Creswell", afirmou uma declaração conjunta das famílias dos reféns.

"Esta é uma provação terrível para todos nós. Pedimos aos que estão mantendo nossos homens que tenham compaixão, enquanto tantas pessoas estão trabalhando duro pela reconciliação no Iraque, nós rezamos pela volta de nossos homens."
Mas, apesar de tudo, o Ministério do Exterior britânico afirmou que continua empenhado em tentar garantir a libertação de todos os reféns que ainda são mantidos pelos sequestradores.

O ministro do Comércio da Grã-Bretanha, Peter Mandelson, afirmou que as autoridades estão fazendo "absolutamente o melhor", agindo através de uma série de canais para trazer os reféns de volta.

"Eu não escondo que estamos extremamente preocupados com a segurança dos reféns", acrescentou Mandelson.

O grupo foi capturado em Bagdá, no prédio do Ministério das Finanças, em maio de 2007 por cerca de 40 homens disfarçados de policiais iraquianos.

Este grupo pertenceria a uma milícia desconhecida, chamada Resistência Islâmica Xiita no Iraque, que exigiu a libertação de até nove de seus integrantes, mantidos sob custódia dos militares americanos desde o início de 2007.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG