Refém que sobreviveu a execução das Farc chega em Bogotá

Luis Alberto Erazo conseguiu fugir dos disparos quando exército atacou acampamento onde estava preso com outros quatro reféns

EFE |

Reuters
Luis Alberto Erazo, refém das Farc há mais de dez anos, acena durante sua chegada em aeroporto de Bogotá
O sargento da Polícia colombiana Luis Alberto Erazo, único sobrevivente de um grupo de cinco reféns executados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) neste sábado, chegou na tarde deste domingo num avião militar em Bogotá.

Sob a chuva e em meio a aplausos dos jornalistas, Erazo desceu da aeronave vestido com um uniforme da polícia e com um curativo no rosto.

Leia também:
Exército colombiano encontra vivo refém das Farc
Colombianos preparam marcha nacional contra as Farc

O sargento entrou numa ambulância, na própria pista do aeroporto militar de Catam, e foi transferido para o Hospital Geral da Polícia, onde recebeu a visita de suas filhas e outros familiares.

Erazo, que foi sequestrado em 9 de dezembro de 1999 pelas Farc, conseguiu fugir dos disparos quando o exército atacou o acampamento onde estava preso junto com outros quatro reféns, que foram executados pelos integrantes da organização.

O policial foi então perseguido pelos guerrilheiros, que lançaram granadas em sua direção, o que provocou os ferimentos em seu rosto. Erazo, no entanto, conseguiu se esconder na selva colombiana, onde foi resgatado pelas forças de segurança.

Os quatro militares mortos foram o coronel Edgar Yesid Duarte Valero, o major Elkin Hernández Rivas, o intendente chefe Álvaro Moreno e o sargento José Líbio Martínez, o refém mais antigo em poder das Farc, que era mantido prisioneiro há quase 14 anos.

Erazo foi sequestrado quando as Farc atacaram a localidade de Curillo, no departamento do Caquetá. Eles eram usados como moeda de troca pela libertação de presos.

    Leia tudo sobre: Colômbiafarc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG