Refém polonês está morto no Paquistão, diz premiê da Polônia

O primeiro-ministro polonês, Donald Tusk, declarou neste sábado que, segundo informações ainda não confirmadas por uma fonte oficial, o refém polonês dos talibãs foi morto no Paquistão.

AFP |

Os talibãs do Paquistão afirmaram pouco antes neste sábado à AFP ter executado o polonês sequestrado em setembro no noroeste do país, mas a embaixada da Polônia em Islamabad ainda não recebeu nenhuma prova.

Piotr Stanczak trabalhava para a empresa de petróleo polonesa Geofizyka Krakow. Ele foi sequestrado em 28 de setembro por homens armados que mataram na hora dois motoristas e seus seguranças, perto de Attock, a 110 km a oeste de Islamabad. O local do sequestro fica não muito longe das zonas tribais onde o exército enfrenta os talibãs paquistaneses aliados dos talibãs afegãos e a Al-Qaeda, que vêm se reforçando na fronteira afegã.

"Decapitamos o engenheiro polonês porque seu governo não quis ceder às nossas reivindicações, e não entregaremos seu corpo", declarou um comandante dos talibãs à AFP, em telefone de local desconhecido. Ele não quis revelar seu nome, mas assume regularmente as ações dos tatibãs paquistaneses.

mc/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG