Villavicencio (Colômbia), 1 fev (EFE).- O soldado libertado, William Giovanny Domínguez, assegurou hoje ao chegar à cidade colombiana de Villavicencio que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram que sequestrarão e atentarão contra os jornalistas que falarem mal do grupo guerrilheiro.

Em sua chegada ao aeroporto Vanguardia dessa localidade do centro da Colômbia, o ex-refém disse que os rebeldes jogaram no chão os rádios dos sequestrados e guerrilheiros nos quais ouviam notícias.

"O comandante das Farc tirou de nós os rádios e a ordem que têm é que se os jornalistas continuarem dando informações ruins vão sequestrá-los ou vão atentar contra eles", disse Domínguez.

O militar afirmou que os rebeldes também ameaçaram os outros sequestrados com não voltar a saber de suas famílias se os meios de comunicação continuarem falando mal das Farc.

Domínguez também descartou as denúncias do jornalista Jorge Enrique Botero e outros membros da missão humanitária que se queixaram dos constantes voos militares nas coordenadas onde seriam entregues os reféns, apesar do compromisso do Governo de cessar todas as operações militares na região.

"Não entendo por que foi o motivo da demora, diziam que haviam operações e bombardeios e nunca houve nada disso. Nas transferências que fizeram conosco nunca escutamos nem um bombardeio nem disparos nem nada do estilo", disse. EFE fer/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.