Um vídeo obtido pelo jornal britânico The Sunday Times sugere que um dos cinco reféns britânicos seqüestrados por militantes iraquianos há mais de um ano cometeu suicídio. No vídeo, militantes do grupo autodenominado Resistência Xiita Islâmica, que capturou os britânicos, dizem que um deles, Jason, se matou no dia 25 de maio de 2008.

Um comunicado divulgado na fita diz que o governo britânico "falhou em responder suas mensagens".

"Esta demora e falta de seriedade por parte do governo britânico está prolongando a deterioração psicológica dos reféns, o que levou um deles, Jason, a cometer suicídio no dia 25 de maio de 2008", diz o comunicado.

"Ele surpreendeu nossos irmãos que estavam tomando conta dele."
As imagens ainda mostram outro refém, Alan, apelando ao governo britânico que atenda as demandas dos seqüestradores relativas à libertação de prisioneiros iraquianos.

"Fisicamente eu não estou muito bem", diz Alan.

"Psicologicamente, estou pior ainda". "Eu quero ver minha família de novo", diz Alan, que em nenhum momento faz qualquer menção ao suposto suicídio do colega.

Repugnante

De acordo com o Sunday Times, um intermediário dos militantes que entregou o vídeo disse que Jason já havia tentado suicídio em outras duas ocasiões.

Ainda segundo o intermediário, provas da morte do refém seriam entregues caso o governo britânico aceite negociar.

O jornal ainda disse que a família foi informada sobre o vídeo na semana passada.

O governo britânico não confirmou a morte de Jason e qualificou o seqüestrou dos britânicos como "repugnante".

O ministro das Relações Exteriores, David Milliband, disse que o vídeo "vai causar aflição e preocupação para as cinco famílias".

Milliband disse ainda que o governo está pronto a negociar para garantir a libertação dos britânicos.

Em visita ao Oriente Médio neste fim de semana, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, disse ter conversado sobre a captura dos britânicos com o premiê iraquiano, Nouri Maliki.

"Eu peço aos que estão mantendo os britânicos em cativeiro que os libertem imediatamente e incondicionalmente", disse Brown.

Este é o segundo vídeo divulgado pelos militantes desde o seqüestro, em maio de 2007.

No primeiro, divulgado em dezembro, os rebeles ameaçam os cinco reféns de morte, dizendo que um deles seria morto se as tropas britânicas não deixassem o Iraque em dez dias.

Os britânicos, quatro guarda-costas e um especialista em informática, foram capturados por militantes armados disfarçados de policiais.

Leia mais sobre Iraque

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.